7.2.17

FENEPOSPETRO DISCUTE COM DIRIGENTES DOS FRENTISTAS DE MG IMPASSE DA CAMPANHA SALARIAL

Via FENEPOSPETRO -


Em Minas Gerais, onde segue indefinida a Campanha Salarial dos quarenta mil trabalhadores em Postos de Combustíveis e Lojas de Conveniência, cuja data-base é 1° de novembro, se reunirá nesta quinta-feira (9), com dirigentes da categoria daquele estado, Eusébio Pinto Neto, presidente da Federação Nacional dos Frentistas – Fenepospetro e do Sinpospetro-RJ.

Programado para as 10 horas, o encontro, na sede do Sinpospetro-BH, visa a debater com a diretoria das cinco entidades daquele Estado as estratégias e os rumos da Negociação Coletiva 2016/2017, cujas dificuldades de acordo, patente àquele Estado, se agravaram durante o 3° entre os sindicalistas e a Minaspetro, ocorrido no dia 26 de janeiro na sede da representante dos patrões. Na ocasião, a patronal, além de não se manifestar a respeito de contraproposta salarial, tentou, ancorada no discurso da propalada crise econômica e na escalada do desemprego, impor restrições a direitos como a PLR- Participação Nos Lucros e Resultados, e cancelar o descanso mensal de dois domingos, ambas conquistas  garantidas há mais de cinco anos na Convenção Coletiva da categoria.

Unificada junto à Fenepospetro, a Negociação Coletiva em Minas Gerais tem entre as principais reivindicações:  reajuste salarial de 8,5% (INPC) com 5,5% de ganho real, aumento na cesta-básica e a inclusão de benefícios, como o vale-refeição.

Oportunismo

O discurso de crise dos patrões com o único objetivo de forçar retirada de direitos e de também  impedir a continuidade de avanços sociais e econômicos para os trabalhadores, não pode de maneira alguma servir como parâmetro à condução das Negociações Coletivas, segundo a direção da Fenepospetro.

Para a entidade, no caso dos Frentistas, depõe contra esse argumento, comum às patronais de todo o país, dados do própria Fecombustível. Em relatório recente, a entidade que representa em todo o Brasil mais de quarenta mil empresas revendedoras  são animadoras as expectativas de recuperação e de crescimento,  para o mercado de venda de combustíveis, o qual segue entre os  menos impactados pela retração no  consumo, na comparação com os demais setores.

*Assessoria de imprensa Fenepospetro- Leila de Oliveira