6.2.17

FRENTISTAS DO RIO DE JANEIRO PROTESTAM CONTRA SUCATEAMENTO DO ESTADO

Via SINPOSPETRO-RJ -

Diretoria do SINPOSPETRO-RJ apoia protesto contra privatização de empresa do Estado. Venda da CEDAE será prejudicial para o consumidor.


A crise econômica do Estado do RJ, provocada pela má gestão administrativa e a farra do boi promovida pelo ex-governador Sérgio Cabral, mobilizou várias categorias num protesto realizado neste domingo(5), em Copacabana, Zona Sul do Rio. A diretoria do SINPOSPETRO-RJ participou do ato contra a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos( CEDAE). Os manifestantes também criticaram as reformas da previdência e trabalhista encaminhadas ao Congresso pelo governo.

Desde o ano passado, os funcionários públicos recebem os salários parcelados. Para regularizar o pagamento dos servidores, o Governo do Rio quer privatizar a CEDAE. O Governo do Rio diz que a salvação da economia do estado depende da venda da Cedae, companhia de saneamento. É a condição imposta pelo governo federal para refinanciar a dívida. Atualmente, o Rio não pode pegar mais dinheiro emprestado porque já estourou o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Com o acordo, o Governo Federal suspenderia o pagamento da dívida até 2020. Mas a venda da estatal ainda depende da autorização da Assembleia Legislativa (Alerj).

Segundo o presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, a luta contra a privatização da CEDAE e a regularização dos salários dos servidores é de toda a sociedade, que paga impostos e ainda é prejudicada com os problemas causadas pela má gerência administrativa. “os trabalhadores de um modo geral são os mais afetados, porque os hospitais estão sucateados, sem medicamentos e funcionários para atender a população. A educação também sofre com os desmandos de governos anteriores”, disse.

Os sindicalistas protestaram também contra as reformas da previdência e trabalhista. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse, neste fim de semana, que pretende colocar as propostas em votação ainda neste semestre.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ afirmou que o movimento sindical está mobilizado e organizado para barrar esses projetos. Eusébio Neto disse que o governo está tentando impor à sociedade e a classe trabalhadora um remédio amargo que não vai resolver o problema de caixa do país. Ele considera que as duas propostas têm como objetivo retirar direitos conquistados com muita luta pelo movimento sindical.

MULHERES NA LUTA

Antes do protesto dos funcionários públicos do Estado do RJ, secretárias da Mulher das centrais sindicais CUT, CGTB, CSB, Força Sindical, UGT e Nova Central realizaram uma manifestação em Copacabana. A vice-presidente do SINPOSPETRO-RJ, Aparecida Evaristo e também secretária da mulher da Força Sindical do RJ participou do movimento que abre as discussões do Fórum 8 de Março. O evento debate a igualdade de direitos, a violência contra a mulher e relações trabalhistas. As sindicalistas protestaram também contra a privatização da reforma da previdência, que aumenta o tempo de contribuição do trabalhador e estipula a idade de 65 anos para mulheres e homens se aposentar.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ