16.2.17

JOGAM-SE NA LAMA, MÍDIA E A JUSTIÇA, PARA DEFENDER A INTIMIDADE DE MARCELA TEMER

EMANUEL CANCELLA -

Agora é esse pudor todo para proteger Temer e Marcela. Entretanto quando envolvia Lula, dona Marisa Letícia, sua família e Dilma, eram grampos ilegais vazados,a toda hora,para a mídia, mesmo sem conteúdo comprometedor. Imagine se tivesse! Chegaram a dizer que contabilizaram que Lula foi mais de cem vezes ao sítio de Atibaia, como se isso fosse algum crime.

Proibiram Lula de ser ministro de Dilma alegando que iria buscar a imunidade. E, contra Lula, Dallagnole, Moro são testemunhas de que contra ele não existem provas, só mera convicção.

Já contra Moreira Franco, para o qual existe um caminhão de provas e convicção, foi emplacado ministro de Temer.

Dilma foi acusada de realizar pedaladas fiscais. Foi afastada por causa disso, mesmo o Senado ter provado que ela não pedalou. Além disso, agora, os governantes podem pedalar à vontade, pois virou lei.

Dinheiro de empreiteira para o PT é propina, mas para os golpistas é doação de campanha. A morte do ministro Teori Zawaski, que deixou claro que iria liberar os nomes dos delatados, foi acidente. A do policial Lucas Arcanjo, inimigo mortal de Aécio Neves, foi suicídio. A do prefeito de Santo André Celso Daniel foi coisa do PT. 

A ligação do aeroporto construído pelo então governador Aécio Neves, com dinheiro público, em terras da própria família, em Claudio MG, com o helicóptero com mais de 400 kg de cocaína não tem nada a ver.

FHC, Bill Clinton e outros cobrarem por palestras é republicano, já Lula é achaque!

Governantes viajarem com empresários, buscando negócios para seu país, como João Doria, do PSDB, agora nos Emirados Árabes, é positivo. Já Lula, suas viagens no exterior levando empresários, ou buscando negócios para o país, para os golpistas, é muito suspeito.

Quanto ao conteúdo haqueado do celular de Marcela, esposa do golpista Michel Temer, fiquem tranquilos, mídia, justiça, e Temer: isso não existe, são coisas que botaram na sua cabeça.

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e autor do livro “A outra face de Sérgio Moro”