8.2.17

OS GOLPISTAS QUEREM SE APOSSAR DOS FUNDOS DE PENSÕES

EMANUEL CANCELLA -

Para enganar a sociedade, afirmavam que estavam combatendo a corrupção na Petrobrás, quando, na verdade, só estavam desmoralizando a empresa para agora, nas mãos dos golpistas,  entregá-la aos gringos mais barata. Fizeram o mesmo com a Vale, quando FHC entregou a maior mineradora do mundo a preço de banana.  E depois da Vale e da Petrobrás, agora tentam fazer o mesmo com os fundos de pensões das estatais.

Os fundos de pensões das estatais possuem um patrimônio de cerca de R$ 800 bilhões. Esse dinheiro pertence aos mantenedores, que são os trabalhadores das estatais que contribuíram e contribuem para esses fundos.

A corrupção é inerente ao sistema capitalista e deve ser combatida em qualquer setor do país. Todos os corruptos e corruptores devem ir para a cadeia. Mas, no Brasil, atualmente, a corrupção só interessa à Justiça quando há interesse financeiro ou político para os golpistas, como no caso na Petrobrás e agora nos fundos de pensões. Do contrário, a Justiça finge que não sabe!

Pergunta que não quer calar: como anda a apuração de corrupções geometricamente maiores que da Petrobrás e dos fundos de pensões, como a do Zelotes, Swssileaks, Panamá Papers e da corrupção na Fifa? Esses escândalos envolvem os principais bancos privados do país e empresas incluindo as de comunicação, como a Band e a Globo, a editora Abril responsável pela Veja, e nossa Justiça continua fingindo que nada sabe.

O MPF a Policia Federal só vão apurar esses escândalos quando o sargento Garcia prender o Zorro. Só para não cair no esquecimento, a Lava Jato chegou a investigar a transposição do Rio São Francisco, a Eletronuclear, como também veio ao Rio para prender o corrupto ex-governador Sérgio Cabral, mas “esqueceu-se” de ir a Minas Gerais prender o corrupto, e recordista de delações na Lava Jato, o tucano Aécio Neves.

Em se tratando de tucano, para “blindagem”, nem precisaria o governo Temer colocar no STF o ministro filiado do PSDB, Alexandre Moraes. O juiz chefe da Lava Jato, Sérgio Moro, disse, nos EUA, que denúncias contra o PSDB não chegaram até ele (1). Isso com o tucano Aécio sendo recordista de delações e ainda temos o governo de FHC na Petrobrás, várias  vezes citado na operação, mas invicto nas investigações. E mesmo agora, quando qualquer dessas delações chega ao STF, sentam em cima e ninguém fala mais nisso.

Além de Aécio e FHC, agora temos o tucano Pedro Parente, que, descaradamente, entrega  a Petrobrás, juntamente com o pré-sal; a indústria naval; os setores de petroquímica e fertilizantes; gás, e biocombustíveis. E ainda diz que faz isso para salvar a Petrobrás! E a Justiça onde estará?

Como petroleiro, não acreditando nas intenções de Pedro Parente  e por isso formalizei denúncia ao MPF em novembro de 2016, alegando omissão da Lava Jato em relação à gestão de Parente (2). Entretanto, ao invés de a Justiça interromper a entrega do patrimônio público, ainda tenta me calar. Isto porque a resposta veio rápido, enviesada, pois  fui intimado pelo MPF, através do juiz Moro, este acusando-me por crime contra a honra do servidor público (4). Quanto a minha denúncia ao MPF, até agora nada.

Voltando aos fundos de pensões das estatais, eles nunca deixaram de pagar nem atrasaram pagamentos de aposentadoria e pensões. Já os similares como GBOEX, Capemi, Aposentec e outros, não pagaram e nem devolveram o dinheiro dos participantes. E a CPI aberta nem sequer cogita de investigá-los. O Aposentec é do Silvio Santos. Não seria o caso de chamá-lo na justiça ou isso não é corrupção?

Em nome do mote de combate à corrupção, os golpistas os mesmos que estão destruindo a previdência publica, querem é abocanhar o dinheiro dos fundos de pensões das estatais e também entregar o mercado milionário de complementação de aposentadoria aos bancos privados.

Fontes:

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e autor do livro “A outra face de Sérgio Moro”