6.2.17

UGT-PARÁ DIZ NÃO AS REFORMAS TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIA

Via UGT -

A União Geral dos Trabalhadores no Pará ocupou nesse domingo, dia 05 de fevereiro, o principal palco de protestos da capital paraense, a Praça da República, para declarar a posição da Central Sindical que representa a maioria dos trabalhadores no Estado do Pará.

A UGT-PARÁ que é presidida pelo sindicalista e ex-deputado estadual pelo PMN, Zé Francisco, levou o seu trio elétrico e os seus principais dirigentes sindicais de diversos segmentos como comércio e serviços, saúde, rodoviários, portos, vigilância, construção civil, hotelaria e outros, além de sua militância, para panfletar e, através de discursos, esclarecer aos milhares de frequentadores da Praça da República os riscos que trabalhadores, trabalhadoras e o povo brasileiro correm caso o Congresso Nacional aprove as propostas de Reformas Trabalhista e Previdenciária que tramitam naquelas casas de Leis. "Estamos aqui fazendo o nosso papel que é esclarecer o povo. Estamos provando, com dados concretos, que na verdade essas propostas de Reformas Trabalhista e Previdenciária só vão tirar nossos direitos que foram conquistados com muita luta. Esse sim é o verdadeiro golpe contra o povo brasileiro.

Porque se não fizermos uma grande mobilização vamos morrer trabalhando. Ninguém vai mais se aposentar. Ninguém, não, os trabalhadores não vão. Porque a Reforma Previdenciária não vai afetar aos privilegiados, aqueles que historicamente se beneficiam, por ditar às regras no Brasil. Que são os políticos, o judiciário e os militares. Para eles tudo vai permanecer como está. Já o povo vai morrer trabalhando. E num trabalho cada vez mais precarizado, se essa absurda proposta de Reforma Trabalhista também for aprovada", afirmou Zé Francisco, presidente da UGT - PARÁ.

Essa foi a primeira de uma série de ações que a UGT - PARÁ agendou. Além dos atos públicos de esclarecimentos e protestos, serão também realizadas blitz no aeroporto para para sensibilizar os parlamentares paraenses da Câmara e do Senado Federal para votarem contra as propostas de Reformas Trabalhista e Previdenciária.

***
Leia também: