16.3.17

1 - LULA NA PAULISTA: “NÓS VAMOS FAZER ESSE PAÍS VOLTAR A CRESCER”; 2 - EMPRESÁRIA QUE POSTOU FOTO DE MORO PEDINDO PARA “LIMPAR O PAÍS” É PRESA NA LAVA JATO

REDAÇÃO -


Em discurso a cerca de 200 mil manifestantes na avenida Paulista, em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o golpe “não foi apenas contra Dilma”, mas também para “acabar com as conquistas sociais”, e que Michel Temer deveria o escutar e ser “presidente de empresa”, não “vender os bens do povo brasileiro”.

A declaração foi no ato na capital paulista, que teve início às 15h e se estendeu pela noite desta quarta-feira (15), no Dia Nacional de Luta Contra as Reformas da Previdência e Trabalhista e pela saída de Michel Temer.

“Está ficando cada vez mais claro que o golpe dado neste país não foi apenas contra a Dilma e os partidos de esquerda. O golpe foi para colocar um cidadão sem nenhuma legitimidade para acabar com as conquistas sociais do povo”, introduziu Lula no discurso.

“Colocou no Congresso uma força política para enfiar goela abaixo do povo brasileiro uma reforma que vai impedir a aposentadoria de milhões. O problema não é de dinheiro. Eu queria que o Meirelles estivesse ouvindo. Eu queria que o Temer estivesse ouvindo”, alertou o ex-presidente.

Segundo Lula, quando o país, durante o seu governo, gerou 22 milhões de emprego, todas as categorias tinham aumento acima da inflação e, com isso, a previdência consegui arrecadação para se manter.

Lembrou que no passado o país já tinha conseguido resolver o problema da previdência, ao “incluir os pobres no orçamento”. “É preciso parar com essa bobagem de cortar e vender as nossas estatais. Quem não sabe governar, só sabe vender”, completou.

Com a sequência de privatizações e medidas contra os direitos sociais, o ex-presidente afirmou que “Temer deveria ser presidente de uma empresa, para vender o que ele produzisse e não vender os bens do povo brasileiro”.

Criticou o governo “golpista” de Michel Temer e defendeu que somente com um presidente legitimamente eleito, escolhido pelo povo nas urnas, é que se chegará à confiança da sociedade e “nós vamos fazer esse país voltar a crescer”.

“Tenho orgulho de ter sido presidente por oito anos e ter ajudado esse país a levantar a cabeça. Quem pensa que o povo está contente, esse povo só vai parar quando elegerem um governo democraticamente eleito”, finalizou.

Já no fim do discurso, voltou ao microfone para “avisar” a Temer que as obras de transposição do Rio São Francisco têm paternidade: “No domingo, estarei na Paraíba para avisar ‘quem tem parente lá'”. (via JornalGGN)

***
Empresária que postou foto de Moro pedindo para “limpar o país” é presa na Lava Jato

Na manhã de terça-feira (14), a Polícia Federal prendeu o diretor da Companhia de Transportes sobre Trilhos do Estado do Rio de Janeiro (Rio Trilhos), Heitor Lopes de Sousa Junior, e o atual subsecretário de Turismo do estado e ex-subsecretário de Transportes, Luiz Carlos Velloso. A operação, batizada de Tolypeutes, é um desdobramento da Lava Jato no Rio, e investiga suposta corrupção e pagamento de propina em contratos da linha 4 do Metrô.

Executivos da Carioca Engenharia relataram, em acordo de leniência, que o esquema na Secretaria de Transporte seria semelhante ao da Secretaria Estadual de Obras do Rio, com a cobrança de propina das empreiteiras contratadas para obras.

Sete mandados de condução coercitiva foram cumpridos. Um deles foi contra a companheira de Luiz Carlos Velloso, Renata Loureiro Borges Monteiro. Promotores apontam ainda que a prisão preventiva do diretor da Rio Trilhos foi pedida para evitar uma possível fuga, já que Heitor e a mulher estavam dando entrada em um pedido de cidadania portuguesa. Os procuradores também estão pedindo o bloqueio de bens de R$ 36 milhões de Heitor e de R$ 12 milhões de Velloso.

Lauro Jardim informa que, no último dia 4, Renata postou em sua página no Facebook uma foto de Sergio Moro com um comentário típico de paneleira:

— É de cabeça erguida que iremos limpar o país! (via DCM)