25.3.17

1 - JUÍZA DO STJ CONCEDE PRISÃO DOMICILIAR A ADRIANA ANCELMO; 2 - HONG KONG BANE CARNE BRASILEIRA; 3 - JUSTIÇA PROÍBE LIVRO DE ‘EDUARDO CUNHA’ DE CHEGAR ÀS LIVRARIAS

REDAÇÃO -


A ministra Maria Thereza de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concedeu, na noite desta sexta-feira, uma liminar autorizando a prisão domiciliar de Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador Sérgio Cabral. A decisão, de caráter provisório, restabelece o que havia sido decidido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, até que o julgamento do habeas corpus, pedido pela defesa nesta quinta-feira, seja concluído. Presa desde dezembro do ano passado, Adriana é ré por organização criminosa e lavagem de dinheiro.

No último dia 17, Bretas estabeleceu condições para que Adriana fosse para a prisão domiciliar: ela deve ficar em um imóvel sem linha telefônica e sem acesso à internet. O apartamento, porém, precisa passar por uma vistoria, já realizada esta semana, de acordo com o advogado da ré, Luís Guilherme Vieira.

— A vistoria já havia sido feita por uma equipe contratada e comunicada na última segunda-feira. Apresentaremos um auto-complementar dizendo que tudo foi cumprido. De posse da decisão, o juiz deve enviar à PF, que deverá constatar se o imóvel está apto para recebê-la, para depois expedir o alvará de soltura — disse. (via blog do Noblat)

***
Hong Kong bane carne brasileira

O governo de Hong Kong decidiu nesta sexta-feira ordenar recolhimento de toda a carne produzida nos 21 frigoríficos brasileiros colocados sob suspeita pela Polícia Federal na operação Carne Fraca.

Hong Kong já tinha decretado proibição de importações à carne brasileira nesta semana. Agora, o secretário para Alimentos e Saúde, Ko Wing-man, afirmou à imprensa que o bloqueio vai continuar, mas o escopo da proibição será ajustado, dependendo do progresso das investigações do Brasil sobre o escândalo.

Em comunicado, Ko afirmou que a carne que foi destinada para Hong Kong antes do bloqueio ter sido imposto será selada na chegada, permanecendo assim até que as investigações sejam concluída.

Nesta semana, o ministro da Agricultura do Brasil, Blairo Maggi, afirmou que os importadores de carne brasileira que mais preocupam o governo são China e Hong Kong, que ainda não tinham se posicionado claramente sobre embargos. (via Reuters)

***
Justiça proíbe livro de ‘Eduardo Cunha’ de chegar às livrarias

Os advogados de Eduardo Cunha conseguiram uma liminar na Justiça do Rio de Janeiro que proíbe a circulação do livro “Diário da cadeia”, que a editora Record distribuiria para as livrarias na segunda-feira.

O livro, conforme a reprodução acima, é “assinado” por Eduardo Cunha, embora a capa estampe também “pseudônimo”. Ninguém sabe o verdadeiro nome, o livro foi escrito por um autor secreto. A Record, por contrato, não divulgará o seu nome. (via Globo)