31.3.17

1 - TEMER DÁ SEU SEGUNDO GOLPE E ANTECIPA NOMEAÇÃO DE MINISTRO DO TSE; 2 - GOVERNADOR TUCANO DO PARÁ TEM MANDATO CASSADO; 3 - DORIA É RECEBIDO NA CÂMARA COM VAIAS E AOS GRITOS DE “PAGA O IPTU” E “CALOTEIRO” [VÍDEO]

REDAÇÃO -


Cinco dias antes de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) iniciar o julgamento que pode cassar o seu mandato, Michel Temer protagoniza o segundo golpe de carreira política e antecipa a nomeação de um ministro para a Corte Eleitoral.

Michel escolheu no início da noite o advogado Admar Gonzaga para substituir o ministro Henrique Neves, cujo mandato termina no dia 16 de abril. Gonzaga foi o mais votado na lista enviada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a Temer. A nomeação será publicada no Diário Oficial da União de amanhã (31).

Atualmente, Admar Gonzaga é ministro substituto do TSE. Ele deve participar do julgamento da chapa Dilma-Temer, que começa na próxima terça-feira (4) e tem duração imprevisível, conforme o presidente da corte, ministro Gilmar Mendes. A ideia de Temer era proceder o mais rapidamente possível com a nomeação do novo ministro, para evitar acusações de tentativa de interferência no julgamento.

Os outros integrantes da lista enviada pelo STF ao presidente eram Tarcísio Vieira e Sérgio Silveira Banhos. Vieira também atua no TSE como ministro substituto.

O plenário do TSE é composto por três ministros do STF, dois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e dois membros da advocacia. Em maio, outra cadeira da advocacia ficará vaga, com a saída da ministra Luciana Lossio, e o presidente Temer deverá fazer nova nomeação.

***
Governador tucano do Pará tem mandato cassado

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) cassou o mandato do governador do estado, Simão Jatene (PSDB), e do vice, Zequinha Marinho (PSC).

Por 4 votos a 2, a Corte condenou o governador por abuso de poder econômico.

O Ministério Público Eleitoral acusa o governador de irregularidades em programas de habitação durante as eleições de 2014, como a entrega de cheque-moradia a eleitores que prometeram voto a Jatene e Zequinha. A chapa também é acusada de uso indevido de meios de comunicação.

Como ainda cabe recurso, a perda de mandato não é imediata. O afastamento só ocorre se o Tribunal Superior Eleitoral mantiver a decisão de cassar o governador.

Simão Jatene está no terceiro mandato como chefe do Executivo estadual. O governador ainda não se pronunciou sobre a decisão do TRE. (via Agência Brasil)

***
Doria é recebido na Câmara com vaias e aos gritos de “paga o IPTU” e “caloteiro”