29.3.17

A PICARETAGEM DA LAVA JATO

EMANUEL CANCELLA -

Enquanto Pedro Parente segue destruindo a Petrobrás. Pedro vende ativos da companhia sem licitação para quem quer e por quanto quer, como se o patrimônio não fosse público e a Lava Jato finge que não vê.

Para desviar a atenção da sociedade a Lava Jato prende ex gerente  da Petrobrás, Roberto Gonçalves, prende cinco dos sete conselheiros do TCE do Rio e enquanto isso: Parente vende por cerca de 10% do valor a Petroquímica de Suape. Esquecendo o valor do patrimônio a petroquímica é o braço mais lucrativo da indústria do petróleo.

A mesma lava Jato que apesar de inúmeras denuncias não investigou o governo de FHC na Petrobrás, nem mesmo com o próprio FHC escrevendo em seu livro, Diários da Presidência que havia corrupção na Petrobrás em seu governo.

Depois vem, o tucano, Pedro Parente, reincidente em maracutaia em negócios na Petrobrás. Parente é réu em ação proposta por petroleiro quando ministro de FHC (2). Parente foi denunciado formalmente ao MPF em novembro de 2016 (4).

E o que faz o MPF? Em dezembro do mesmo ano a pedido do juiz Sérgio Moro que chefia a Lava Jato intima o petroleiro autor da denuncia contra Parente, Emanuel Cancella, por possível crime contra a honra do servidor público (5).

Parente que é pau mandado do governo golpista de Michel Shell Temer, afilhado de FHC, protegido pela Lava Jato e o MPF e agora tem o aval do TCU que manda Parente refazer seu “feirão” (3).

A Lava Jato é implacável com os corruptos na Petrobrás e cúmplice dos tucanos!

Fonte:

*Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”