25.3.17

‘ANTES DO MUNDO ACABAR’ COM ZÉLIA DUNCAN SACUDIU O TEATRO RIVAL PETROBRAS

ILUSKA LOPES -

Zélia Duncan / Fotos: Daniel Mazola.
É surpreendente a desenvoltura da cantora Zélia Duncan, 52, como sambista, em turnê há quase dois anos divulgando o seu último álbum ‘Antes do Mundo Acabar’, dedicado a uma de suas paixões e gênero que gosta de cantar. Ontem (24) o palco do Teatro Rival Petrobras recebeu seu novo repertório com entusiasmo e alegria, o público lotou inclusive o mezanino da tradicional casa de espetáculos carioca.

Com direção musical de Bia Paes Leme, que também produziu o disco, o show tem cenografia de Simone Mina, que divide a direção com Zélia, com quem vem trabalhando desde o elogiado espetáculo ‘Tô tatiando’. Com ‘Antes do mundo acabar’, Zélia se consagrou na 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira com três prêmios, o de melhor canção (“Antes do Mundo Acabar”) e os de melhor álbum e melhor cantora na categoria de samba.

Zélia e músicos de primeiríssima
Pretinho da Serrinha é um dos auxílios luxuosos do espetáculo que também conta com a participação da cantora Ana Costa, que interpreta ao menos quatro canções com Zélia, também acompanhada pelos músicos Webster Santos, Pedro Franco e Domingos Teixeira, nas cordas, e por Thiago da Serrinha e Paulinho Dias, nas percussões, todos do primeiro time. Ao final da canção O Ronco da Cuíca (João Bosco) cujo refrão é “A fome e a raiva é coisa dos home”, o público puxou: “Fora Temer!”, ela interagiu imediatamente: “Fora mesmo! Fora! Esse assunto me chateia, entristece”.

Zélia Duncan e Ana Costa
Quem assistiu ao espetáculo teve o prazer de ouvir canções como Antes do mundo acabar, um samba dolente de Zeca Baleiro e Zélia, que dá título ao álbum e ao show, e que reúne sambas inéditos, compostos por Zélia e vários parceiros. O repertório destaca canções como: Por que Você Não Me Convida Agora (Riachão), Vida da Minha Vida (Moacyr Luz/Sereno), Por Água Abaixo (Pretinho da Serrinha/Leandro FAB/Fred Camacho) e as parcerias: Dormiu, Mas Acordou (Arlindo Cruz/ZD), Olha, O Dia Vem Aí (Xande de Pilares/ZD), Pra Quem Sabe Amar (Ana Costa/ZD) e Um Final (Pedro Luís/ZD).

São 35 anos de carreira, dez álbuns de estúdio, DVDs, discos ao vivo, participações e projetos híbridos, como o que realizou em 2011, no espetáculo ‘Tô Tatiando’, cantando músicas de Luiz Tatit e onde testou seu lado atriz (Duncan fez curso de teatro na Casa das Artes de Laranjeiras no Rio). Ela nasceu em Niterói e morou em Brasília, onde começou sua carreira, em 1981. Falou ao editor Daniel Mazola que vive uma fase muito tranquila em relação à profissão, mas se sente constrangida e desacreditada com o que vem acontecendo na política brasileira.

Zélia Duncan e Daniel Mazola / Foto: Iluska Lopes
'Antes do mundo acabar' é sensacional, vale conferir!