30.3.17

‘CALABOUÇO – REBELIÃO E RESISTÊNCIA DOS ESTUDANTES CONTRA A DITADURA CIVIL-MILITAR EM 1968’, LIVRO LANÇADO PELO NÚCLEO IRREDENTOS NA OAB-RJ

ILUSKA LOPES -

Em breve indicaremos todos os pontos de venda. Por hora os pedidos podem ser feitos através do e-mail: sardinha.geraldo@ig.com.br
Faça o pedido e receba o livro em sua casa.

Paulo Gomes e Geraldo Sardinha / Fotos: Daniel Mazola.
Ontem (29/03) no auditório do 9º andar da OAB-RJ ocorreu o lançamento do novo livro de Geraldo Jorge Sardinha, autêntico lutador revolucionário que participou diretamente da luta contra o regime militar brasileiro e uruguaio durante os anos de chumbo no continente sul-americano. Calabouço – Rebelião e resistência dos estudantes contra a Ditadura Civil-Militar em 1968 foi publicado pelo Núcleo IRREDENTOS e conta a história do antigo restaurante (dos estudantes), e do episódio que culminou na morte do estudante secundarista Edson Luís de Lima Souto, um dos fatos político histórico mais importante do período.

Criado no governo de Getúlio Vargas, o Calabouço era um restaurante popular voltado aos estudantes carentes e que, após a instalação do regime fascista, em 31 de março de 1964, acabou se tornando um importante polo de oposição e resistência. O contexto, a história do protesto organizado pelos estudantes e reprimido pela Polícia Militar no qual Edson Luís foi morto e as consequências deste fato são contados em detalhes por Sardinha, um dos militantes presentes na ocasião e que ajudou a carregar o corpo do estudante Edson Luís do restaurante Calabouço até a Assembleia Legislativa.

No centro, ao microfone, Aderson Bussinger, Diretor do Centro de Documentação e Pesquisa da Seccional da OAB-RJ
No evento, organizado pelo Diretor do Centro de Documentação e Pesquisa da Seccional da OAB-RJ, Aderson Bussinger, estiveram ocupando a mesa para falar sobre o livro e o período de lutas: o autor Geraldo Sardinha, o advogado e documentarista Paulo Gomes (prefaciante do livro), o jornalista Edilberto Veras, a anistiada política Zulmira Batista, o presidente da Associação dos Estudantes Secundaristas do Rio de Janeiro (Aerj) Ruan Vidal, o presidente do PCdoB/RJ João Batista, o representante do Centro de Estudos da Política Songun - Brasil Lucas Rubio, a representante do jornal Inverta Ana Alice Teixeira, além do histórico sindicalista e revolucionário Raphael Martinelli.

Raphael Martinelli: "Temos que mudar o Regime, esse não presta!"
O autor, Geraldo Jorge Sardinha, disse que do Calabouço saíram muitos companheiros para a luta armada. Lembrou diversos fatos que vivenciou em sua trajetória como militante político. Falou daqueles dias no Calabouço, da sua vida na clandestinidade, da fundação do PCBR, de sua ida para o Uruguai onde viveu por alguns anos atuando politicamente em ações revolucionarias do grupo Túpac Amaru, sendo preso e sofreu três longos anos. Mesmo assim nunca se rendeu, continua com a chama revolucionaria acesa na consciência e na alma. “Se não há Pátria para todos, não há Pátria para ninguém!”, enfatizou.


Presentes diversas personalidades do mundo político e sindical. Caravanas de estudantes vindos dos municípios de Maricá, Saquarema e Araruama lotaram o auditório (foto acima). Ao final, uma das estudantes enfatizou a importância da luta dos estudantes de ontem e hoje, afirmando que precisamos seguir lutando, construindo a Revolução que um dia há de triunfar. O lançamento do livro foi grande sucesso!