30.3.17

FIM DE LINHA PARA EDUARDO CUNHA

ALCYR CAVALCANTI -


Caiu mais uma peça importante do tabuleiro político do Estado do Rio de Janeiro. O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha PMDB-RJ foi condenado pelo juiz Sergio Moro a 15 anos e quatro meses de prisão em regime fechado. Preso em Brasília em 19 de outubro de 2016, após um longo debate e vários adiamentos, Cunha amarga uma prisão no Complexo Médico-Penal em Curitiba. Eduardo Cunha que se apresentava como o "Defensor do Estado do Rio" foi acusado de inúmeras irregularidades e contas secretas  no exterior que resultaram em sua condenação. Acusado de ter mentido na Câmara o deputado foi submetido ao Conselho de Ética em uma votação tumultuada. Por não ter obtido os votos do PT que lhe dariam sustentação e a consequente absolvição Cunha retaliou e tornou-se o maior desafeto de Dilma Roussef dando início ao processo que resultou no impeachment da presidente.

Cunha teve uma longa e constante ascensão desde seu inicio na Telerj indicado por Paulo Cesar Farias, braço direito de Fernando Collor até conseguir se tornar uma figura da maior importância no quadro político nacional.  Para o ex-deputado Roberto Jefferson "Eduardo Cunha é um pistoleiro, à altura de Lula, rápido no gatilho. atira pelas costas, de emboscada e também é capaz de roubar no pôquer".

O Juiz Sergio Moro em mais uma fase da Operação Lava-Jato sentenciou: " De conformidade com o artigo 33 do Código Penal fixo o regime fechado para o cumprimento da pena. A progressão do regime para a pena de corrupção fica, em princípio, condicionada à devolução do produto do crime, no caso a vantagem indevida  recebida, nos termos do artigo 33 do Código Penal".

O deputado causou, segundo o juiz, um prejuízo enorme na compra pela Petrobrás do Campo de Benim, na África. Segundo a estatal o prejuízo foi de U$ 77 milhões de dólares americanos. Para Sergio Moro "A responsabilidade do parlamentar é enorme, e por conseguinte a sua responsabilidade quando pratica crimes" . O Campo Petrolífero de Benim foi um tremendo fracasso, as perfurações foram iniciadas em setembro de 2013. Em abril de 2014 após muitas sondagens verificaram que o Campo de Benim era totalmente seco.