22.3.17

FOCO DA POLÍCIA FEDERAL SERÁ SALVAR A CARA DA POLÍCIA FEDERAL

JOSÉ CARLOS DE ASSIS -


A Polícia Federal empenhará todos os seus esforços, nos próximos dias, para provar que ela própria estava certa ao apontar irregularidades na investigação da carne brasileira. O resultado que ela vai procurar não são as tais irregularidades, que a sociedade brasileira ainda não viu, mas situações inventadas para justificar a barrigada que deu ao anunciar de forma precipitada, e sem provas convincentes, eventuais problemas com frigoríficos do país.

Conhecemos essas reações como próprias da natureza humana. A única forma do delegado da operação Carne Fraca sair-se bem dessa mixórdia imbecil é provar que tinha razão. Ele fará tudo para isso. Os frigoríficos e o comércio em geral de carne brasileira que se preparem para o recrudescimento de uma operação que não será para identificar carne podre, mas sim para limpar a barra de um idiota que derrubou de uma pena o mercado da carne.

Esse processo mostrou quão necessária é a aprovação do projeto de lei de abuso de autoridade relatado pelo senador Roberto Requião no ano passado. Se aquele projeto tivesse se tornado lei, o delegado da Polícia Federal teria que pensar duas vezes antes de dar publicidade nacional a uma investigação pífia, feita pela metade, e com todos os indícios de que está simplesmente furada. Caso insistisse, poderia ser responsabilizado.

Os grandes conglomerados de carne estão colocando anúncios na televisão para provar sua alta qualidade. Há nisso certo sabor nacionalista, que considero altamente positivo. No entanto, há algumas semanas uma missão de funcionários do BNDES esteve com a senadora Katia Abreu, que se tornou uma defensora veemente no Senado da carne brasileira, para convidá-la a participar de um evento no Rio em defesa da economia nacional. A senadora desqualificou os argumentos nacionalistas deles de forma absolutamente agressiva.

Repudiou a proteção do capital nacional, minimizou a importância da regra de conteúdo local nos investimentos, e se colocou na vanguarda do neoliberalismo. Acredito que diante dos acontecimentos no mercado de carne brasileira, que tem fortes indícios de uma conspiração norte-americana se aproveitando da imbecilidade de nossos fiscais, ela reconsidere seus conceitos. A derrubada do mercado brasileiro da carne é, claramente, uma operação geopolítica para quebrar elos econômicos do Brasil com a Rússia e a China.