30.3.17

FRENTISTAS DE SÃO PAULO EM CAMPANHA SALARIAL REJEITAM PROPOSTA PATRONAL DE 2,5% : "ONDA DE RETROCESSO"

Via FEPOSPETRO -


Terminou sem acordo a 2° rodada de negociação salarial dos cem mil trabalhadores em postos de combustíveis e lojas de conveniência de São Paulo, realizada nesta quarta-feira (29), após a categoria rejeitar a contraproposta patronal de 2,5% de reajuste de salário e vale-refeição. A categoria em defesa de  aumento real de salário e benefício, e aprovação da PLR- Participação nos Lucros e Resultados, pretende intensificar a mobilização para o próximo encontro entre o grupo, agendado para quarta-feira, dia 5, as 10 horas, no Sincopetro. De acordo com Luiz Arraes, presidente da Federação Estadual dos Frentistas - Fepospetro, entidade que unifica entre os dezesseis sindicatos de São Paulo a Campanha Salarial, a oferta de reajuste apresentada, distante dos anseios dos trabalhadores,é reflexo da onda de retrocesso e ataque aos direitos trabalhistas, capitaneada pelo atual governo: “O discurso dos patrões é sempre o mesmo, agora um pouco pior, pois usam a crise para impedir avanços para os trabalhadores” criticou. O presidente ressaltou ainda a importância da participação da categoria nas negociações, que são abertas ao público: “A Fepospetro tem sido firme nas negociações, mas o apoio e união da categoria são fundamentais” –disse. O endereço do Sincopetro, local das reuniões, é: Rua Atibaia, 282 - Perdizes, São Paulo.


Data-base assegurada – De acordo com Luiz Arraes, presidente da Fepospetro e secretário de Negociações Coletivas da Fenepospetro, apesar de iniciar com atraso as negociações este ano, em razão da demora do Sincopetro em definir a data de abertura das negociações, a data-base assegurada na ocasião garante aos trabalhadores, ao final do acordo coletivo de trabalho de 2017,o recebimento retroativo à 1° de março dos valores adicionais.

*Assessoria de Imprensa da Fepospetro