22.3.17

“PREÇO DA CARNE BOVINA DEVE CAIR NO BRASIL POR CAUSA DO AUMENTO DA OFERTA”, DEU NA FOLHA

EMANUEL CANCELLA -


Não só a bovina, mas a suína e a de frango. Eles mostram isso com se fosse uma coisa positiva, entretanto não disseram que vai cair também o PIB, a taxa de emprego e a arrecadação da União, dos estados e dos municípios.

O governo golpista, com apoio da mídia, do MPF, do STF, da Lava Jato e da Polícia Federal já matou a engenharia brasileira, como bem assinalou o Clube de Engenharia (3). A Globo faz lobby contra as empresas nacionais(6). Destruíram a indústria naval (4). E estão entregando a Petrobrás aos gringos.  E agora, através da operação “Carne Fraca”, já barraram nossas exportações de carne para a China, União Europeia, etc.

Tudo em nome do combate à corrupção. Que combate é esse que está levando o Brasil à destruição? Que combate é esse que não chega ao PSDB? O governo de FHC, na Petrobrás, apesar de inúmeras denúncias, nunca foi investigado na Lava Jato. Nenhum tucano foi preso até agora e nem será!

A gestão do tucano Pedro Parente, reincidente em negócios escusos na venda de ativo, apresenta-se com um verdadeiro bota-fora de bens públicos e a Lava Jato finge que não vê. Parente é réu em ação implementada por petroleiro quando foi ministro de FHC (1). Em novembro de 2016, Parente  é denunciado formalmente ao MPF na ação que questiona a venda de ativos da Petrobrás sem licitação (2). E mesmo assim, continua a liquidação.

Para aqueles que acreditam que eles vão chegar aos tucanos, o mensalão tucano, apesar de anterior ao do PT, está prescrevendo sem julgamento (5).

Lamentavelmente todo poder constituído do país está comprometido com o golpe. Só o povo, nas ruas, pode dar um basta a esses golpistas!

Amanhã, quarta, 22, as Centrais sindicais vão fazer o balanço do movimento do último dia 15, quando colocamos hum milhão de pessoas nas ruas do Brasil. Vamos às ruas responder a eles: E dizer que a carne é fraca, mas o povo não é burro!

Fonte:

*Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”