13.3.17

QUARTA (15) TEM PROTESTO NACIONAL. ORGANIZAÇÕES DIVULGAM AGENDA DE LUTAS EM TODO O PAÍS

REDAÇÃO -

Representantes de centenas de organizações sociais, sindicais, estudantis e partidárias, a Frente Brasil Popular e o Povo sem Medo convocam toda a classe trabalhadora brasileira a se engajar na luta para barrar o desmonte da previdência pública e o fim da aposentadoria.

Em nota de convocação, as frentes destacam a importância em organizar a resistência e conscientizar a população nos seus locais de trabalho, nas escolas e universidades, no campo e na cidade sobre o brutal ataque aos direitos que vem sendo patrocinado por um governo e uma esmagadora maioria do Congresso Nacional sem nenhum compromisso com a população brasileira.

"É preciso fazer a luta nas ruas! Por isso no dia 15 de março estaremos junto com os trabalhadores/as da educação em greve e com o conjunto da classe trabalhadora paralisada, para realizar grandes manifestações que mostrem que não aceitamos o fim da aposentadoria e nem um governo que seja instrumento para caçar direitos e piorar a vida dos brasileiros/as", diz trecho. (via CTB)

Acompanhe abaixo a agenda de manifestações em todo o país:


***
Povo nas ruas no dia 15 vai barrar roubo da aposentadoria

As manifestações no Dia Internacional de Luta das Mulheres reuniram milhares de pessoas em todo o país unificadas pela defesa da igualdade, mas também contra a avalanche de roubos dos direitos trabalhistas, principalmente, a reforma da Previdência.

Para o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, o 8 de março foi uma demonstração da resposta que está por vir aos golpistas, a começar, pela próximo dia 15, quando todas as centrais sindicais brasileiras e movimentos sociais do campo e da cidade promoverão um Dia Nacional de Paralisação.

Em entrevista, o dirigente ressalta o papel dos sindicatos nesse processo e aponta porque a proposta de reforma trabalhista começa a ganhar visibilidade. Não por acaso, quando a insatisfação com o roubo da aposentadoria promovido pelo ilegítimo Michel Temer (PMDB) cresce na sociedade. (via CUT)

Saiba mais aqui