26.3.17

QUERO VER A POLÍCIA FEDERAL INVESTIGAR A COCA-COLA, MACDONALD'S E HABIB’S

EMANUEL CANCELLA -


A Coca-Cola mantém sigilo de sua fórmula, ninguém sabe exatamente o conteúdo.  Entretanto sabemos que vários usuários já perderam a vesícula e outros órgãos pelo vício da Coca e que a rede pública de saúde gasta uma fábula por conta do uso desse refrigerante que resulta numa extensa lista de doentes.

Dizem, sem comprovar, que o MacDonald's e Habibs usam carne de minhoca no hambúrguer. Já as pastelarias chinesas no Rio foram denunciadas por usar nos pastéis carne de cachorro (5).

Essas operações estapafúrdias, caso fossem para moralizar, não poderiam ser tão seletivas, teriam que investigar, pelo menos, as mais gritantes.

Da mesma forma seletiva que procede com a carne, a PF não investiga a gestão de FHC na Petrobrás, apesar das várias denúncias; muito menos não toma qualquer atitude contra o reincidente vendedor de ativos do Sistema Petrobrás, o tucano Pedro Parente (1). Isso porque Parente está liquidando a empresa, vendendo ativos, sem licitação, para quem quer, e por quanto quer. E a gestão de Parente já foi, de novo, denunciada ao MPF, em novembro de 2016 (2).

Ainda chamamos os procuradores americanos para investigar a Petrobrás, logo eles que estão doidos para abocanhar nosso petróleo, e nem tentamos mandar os nossos procuradores investigar a Chevron, denunciada pelo wikileaks, quando o tucano Serra, oferecia favores a petroleira estadunidense em prejuízo da Petrobrás (3).

Com tantas empresa e produtos desprezando a saúde do consumidor brasileiro escancaradamente, destruindo o patrimônio público e a economia nacional, por que a PF prioriza investigar justamente a carne brasileira, uma das líderes mundiais em exportação?

Esse combate à corrupção já matou a nossa engenharia, denuncia Mauro Santayana (4), destruiu a indústria naval, esta liquidando a Petrobrás e agora entrega o mercado de carnes a estrangeiros.

Realmente a carne fraca  jamais resistiria a um ataque  da Policia Federal com apoio do governo golpista e transformada em show pela mídia.

Fonte:

*Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”