4.3.17

SINDICAL: 1 - CAMPANHA DE METALÚRGICOS DO ABC MOBILIZA CONTRA REFORMA DA PREVIDÊNCIA; 2 - RJ: NA SEGUNDA (6/3), SERVIDORES DO HOSPITAL EDUARDO RABELLO PROTESTAM CONTRA TRANSFERÊNCIAS ARBITRÁRIAS

REDAÇÃO -

Uma campanha do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC procura mobilizar a população contra a proposta de reforma da Previdência do governo Michel Temer.

A campanha mostra relatos de trabalhadores que serão diretamente afetados pela medida, caso ela seja aprovada.

Enviada para a Câmara dos Deputados, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287 coloca alterações como a idade mínima para aposentadoria de 65 anos, tanto para homens quanto para mulheres, e exige um tempo mínimo de 25 anos de contribuição. Entretanto, parlamentares creem que rejeição à PEC será forte.

Para assistir o vídeo clique na imagem abaixo, será redirecionado para o canal de vídeos do Sindicato no Facebook. Confira a história de Luís Carlos, compartilhe e proteste contra a reforma da Previdência. (via APN)


***
Na segunda (6/3), servidores do Hospital Eduardo Rabello protestam contra transferências arbitrárias

Servidores lotados no Hospital Estadual Eduardo Rabello (Campo Grande) protestam nesta segunda-feira (6/3) contra a intenção da direção-geral daquela unidade de transferí-los para o Hospital Estadual Anchieta, localizado na zona portuária (Caju). O protesto será realizado em frente à Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), a partir das 10h, na rua México, 128 – Centro, e terá a participação de servidores de outras unidades, como Rocha Faria, Getúlio Vargas e Adão Pereira Nunes, além da Perícia Médica do Estado.

A transferência envolve cerca de 100 servidores do Eduardo Rabello, a maioria estatutários, que já manifestaram o desejo de continuarem naquela unidade e contestam a alegação, apresentada pela direção-geral, de que haveria ‘excesso de funcionários’ no Hospital. Segundo os servidores, o que existe é o sucateamento do Eduardo Rabello, resultando na desativação de vários setores do Hospital, onde faltam insumos básicos para atender a população.

A abertura de cerca de 100 vagas no Hospital Estadual Anchieta aconteceu, segundo servidores, devido à saída da Organização Social (O.S.) que administrava aquela unidade, a Pró-Saúde, após constantes atrasos de salários, faltas de insumos e medicamentos. (via assessoria Sindsprev/RJ)