1.3.17

TODO DIA É DIA DE RECOMEÇAR

ISA COLLI -


Depois de um grande problema resta-nos duas opções: a primeira, recomeçar, a segunda se entregar e viver dos cacarecos, das sobras, remoendo feridas e sentindo pena de si.

Muitas vezes somos pegos por uma série de infortúnios que costumam vir em combos. Perdas financeiras, separações, doenças graves e a morte. São nessas horas que a fé se esconde de nós, dando lugar a revolta, ao desânimo e a depressão. Como reagir diante da tristeza que consome a alma. Como arrumar a bagunça e a ruina deixada pela destruição emocional?

Para se reerguer de um grande abalo, é preciso avaliar a própria vida e focar em um novo objetivo. Aproveitar a insônia durante esse período para desenvolver ideias novas, olhar o mundo sob outro ângulo. E trabalhar, trabalhar muito também.

A revolta, a raiva e até mesmo o ódio, devem ser canalizados para uma mudança de vida. Sentimentos ruins podem ser combustíveis potentes para reverter situações trágicas. Eles se prolongam por um tempo, mas direcionados para coisas positivas, como trabalhar e manter a mente ocupada, organizar sentimentos e deixar lembranças dolorosas de lado, é o primeiro passo para o processo de recuperação.

Sobreviventes de grandes tragédias e infortúnios, quando decidem recomeçar, na maioria das vezes realizam coisas que a maioria das pessoas não conseguiriam, viram exemplos de superação, grandes empresários, inventores, escritores e até mesmo líderes religiosos, pois se tornam exemplos de força e fé.

Com toda a experiência acumulada, a reconstrução acontece de forma segura. Após grandes perdas é comum o homem desenvolver a capacidade de tornar-se humano, mais forte e cauteloso. Procurar bases sólidas e solos mais férteis.

O mundo é cheio de infinitas possibilidades. Podemos encontrar novos amores, novas alegrias, novas motivações ou a morte. A força existencial e individual é que vai definir o futuro de cada um. A vida sempre nos apresentará um caminho, uma escolha. Somos donos do nosso destino.

Viver não é e nem nunca foi tarefa fácil, precisamos ser guerreiros nesse mundo. Somos seres complexos e cheios de sentimentos primitivos de apego a matéria e aos que nos cercam. Mas aos poucos, estamos despertando para a compreensão de que somos eternos, que não perdemos nossa vida nunca, apenas evoluímos para um estado melhor.