10.4.17

1 - SERRA LEVOU € 2 MILHÕES EM CAIXA DOIS, DIZ ODEBRECHT; 2 - CUNHA DIZ QUE PODE “EXPLODIR O MUNDO EMPRESARIAL” COM DELAÇÃO; 3 - COLUNISTA DA GLOBONEWS PEDE DESCULPAS POR DIZER QUE DESEMPREGO E RECESSÃO “DEVOLVEM PODER DE COMPRA”

REDAÇÃO -


O ex-presidente do grupo Odebrecht Pedro Novis disse em seu acordo de delação premiada que repassou € 2 milhões de caixa dois a José Serra (PSDB) a partir de 2006, quando o tucano disputou e venceu a eleição para o governo de São Paulo. Segundo Novis, não foi exigida contrapartida do político tucano.

Os valores, de acordo com Novis, foram depositados entre 2006 e 2007 em contas na Suíça indicadas pelo empresário José Amaro Pinto Ramos, próximo ao PSDB.

O valor corresponde a R$ 5,4 milhões, quando se corrige o euro pelos valores médios daqueles anos.

Pinto Ramos afirmou à Folha, por meio de seu advogado, que recebeu € 1,2 milhão da Odebrecht na Suíça em 2006 e 2007, mas que o montante corresponde a serviços de consultoria à empresa. Ele diz ter feito estudos de viabilidade econômica para projetos da Odebrecht na Argélia, na Turquia e no Uruguai. (…)
(via Folha)

***
Cunha diz que pode “explodir o mundo empresarial” com delação

O humor de Eduardo Cunha na prisão anda tão ruim que fez até seus aliados mais fiéis se afastarem. A um parlamentar, ele avisou que chegou ao limite e ameaçou fazer delação premiada. Disse que tem material para “explodir” o mundo empresarial, a começar por gigantes do setor de carne, já abalados pela Operação Carne Fraca, deflagrada pela PF no último mês. Seus advogados, porém, continuam negando que ele tenha disposição em fazê-lo.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.
“Quem acompanha de perto os desdobramentos da Lava Jato acredita que Cunha seguirá o exemplo de Duda Mendonça e tentará fechar acordo de colaboração com a PF, e não com os procuradores. Dizem ainda que ele e o corretor Lúcio Funaro, também preso, jogam juntos.” (via 247)

***
Colunista da GloboNews pede desculpas por dizer que desemprego e recessão “devolvem poder de compra”

A jornalista Thaís Heredia, da GloboNews, ficou nacionalmente famosa pelo comentário chapa branca abaixo:


A repercussão a forçou a publicar um pedido de desculpas: