26.4.17

ENTREVISTA – “DIA 28 É NA RUA! ESTAMOS EM ESTADO DE GUERRA CONTRA AS ELITES E O DESGOVERNO” EUSÉBIO PINTO NETO, PRESIDENTE DA FENEPOSPETRO E DO SINPOSPETRO-RJ [VÍDEO]

DANIEL MAZOLA -

Diretoria conclama para a GREVE GERAL na próxima sexta-feira.
Diante dos abomináveis ataques perpetrados pelo usurpador Michel Temer a serviço do grande capital, o presidente da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO) e do SINPOSPETRO-RJ, EUSÉBIO LUIS PINTO NETO, recebeu este editor na nova sede do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Combustíveis do Rio de Janeiro, para conclamar todos a irem às ruas na sexta-feira (28). “É preciso comprometimento de todos os sindicatos do país, adesão de todos os brasileiros aos protestos. A classe trabalhadora precisa entender que estamos em guerra contra esse governo e contra as elites”.

A categoria dos trabalhadores em postos de combustíveis do RJ já pode usufruir de mais de 400 m² da nova sede, localizada na Rua Professor Manoel de Abreu, nº 850, em Vila Isabel, Zona Norte da capital fluminense. “O sindicato cresceu muito em 12 anos (2005) de existência, consequentemente as demandas também cresceram, a construção da nova sede teve como objetivo atender melhor e trazer mais conforto para o trabalhador, além de criar novos departamentos. Contamos com consultórios médicos e odontológicos modernos, equipados de acordo com todas as exigências, além do departamento jurídico”, informou o dirigente da entidade.

O sindicalista observa que para entender melhor a gravidade da crise que estamos vivendo hoje, precisamos voltar um pouco no tempo. “O Brasil desde sua colonização vive nas mãos da elite, que chegou aqui, escravizou, e roubou os índios. Quanto a esse aspecto, temos até hoje uma elite destrutiva, que não pensa em projeto de nação apenas na exploração com a mesma lógica escravocrata (...) hoje nosso país é o paraíso dos rentistas e empresários sonegadores”.



“O País foi tomado pelo grande capital para implantar uma política neoliberal e o governo popular foi substituído por um governo entreguista explorador. O capital selvagem quer acabar com todas as conquistas dos trabalhadores, isso é um grande retrocesso, uma imposição dos banqueiros e das multinacionais (...). Após derrotas sucessivas, a elite se reorganizou para dar um golpe, cooptando os poderes legislativo, judiciário e a mídia. Querem tirar (o dinheiro) os direitos e bem estar social dos trabalhadores para transferir tudo aos grandes capitalistas: rentistas, banqueiros, seguradoras, donos da Globo, etc”.

Segundo o presidente, mesmo numa conjuntura de ataques do capital selvagem, nossa boa legislação trabalhista e a atuação do movimento sindical tem garantido proteção ao trabalhador. “Ainda vemos no Brasil a fiscalização libertar trabalhadores escravos nos centros das grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Um país com tanta precarização da mão de obra, não pode permitir o projeto da terceirização. Com essa contrarreforma trabalhista o Brasil vai regredir um século, voltaremos à escravidão”, frisou.

Sem meias palavras o lúcido sindicalista disse: “A chamada grande mídia e o capital financeiro (através dos bancos e as grandes empresas como, JBS, Globo, Itaú, Bradesco, etc) são as corporações que mais faturam no Brasil, e inacreditavelmente são também as maiores sonegadoras do país. Não pagam impostos e devem bilhões a previdência, bilhões em direitos trabalhistas, esses são os que mais enriquecem, se beneficiam do sistema, exploram, concentram rendam, e que dão calotes. Com isso falta merenda escolar, falta comida na mesa da criança, saúde, educação, etc. Esses sim são criminosos hediondos, e a maioria trata isso com normalidade”.

Diretoria reunida debatendo estratégias para o dia 28 / Fotos: Daniel Mazola
Dia 28 temos que resistir e dar uma resposta a esse tipo de investida do capital selvagem contra o povo brasileiro. Vamos mostrar as elites, a esse governo ilegítimo-sem moral, que nós ESTAMOS EM ESTADO DE GUERRA, ou lutamos agora ou vamos viver o resto da vida de joelhos, e não teremos moral para olhar na cara dos nossos filhos e netos. Conclamo a todos para irem às ruas no dia 28 de abril, vamos parar o Brasil, é questão de vida ou morte!”. A TRIBUNA DA IMPRENSA Sindical também reforça a conclamação para a GREVE GERAL.

Agora confira a entrevista e o chamamento do presidente da FENEPOSPETRO e do SINPOSPETRO-RJ.