2.4.17

OS MORCEGOS E O VOTO

SEBASTIÃO NERY -


Paris – A fábula do escritor francês Jean de La Fontaine deu-nos a lição sobre os morcegos voadores:

– “Vejam as minhas asas. Eu sou um pássaro. Mas também sou um camundongo. Vivam os ratos.”

O brilhante professor paranaense Hélio Duque lembra-se de La Fontaine para chamar a atenção da política brasileira. Os valores, convicções e princípios estão sendo substituídos pelo caixa dois, pelo Fundo Partidário e pelo Financiamento Público de Campanha. Como não há partidos doutrinários e decentes, o poder econômico capturou a representação política brasileira.

Leia mais na COLUNA