22.4.17

URGE QUE O MPF PUNA O JUIZ SÉRGIO MORO E O PROCURADOR DELTAN DALLAGNOL, POR OFENSAS A LULA

EMANUEL CANCELLA -


Juiz Moro, chefe da operação Lava Jato, e o chefe da Força Tarefa da operação, Deltan Dallagnol, ofenderam Lula, na honra do funcionário público, já que o acusaram de vários crimes, mas sem qualquer tipo de prova.

Luiz Inácio lula da Silva foi, por oito anos, o presidente do Brasil, eleito por ampla maioria dos brasileiros. E ainda saiu de seu segundo governo com mais de 80% de aprovação popular. O cargo de presidente equivale ao de funcionário público número um.

Moro e Dallagnol, com a denúncia e acusação sem provas, não estariam ofendendo assim a honra do funcionário público, Lula? Está muitíssimo claro que se trata de perseguição política, pois estão desesperados para afastar Lula das eleições de 2018 e como não têm nada contra ele, inventam.

E ambos, juiz Moro e Dallagnol, agiram em dobradinha, já que o procurador Dallagnol denunciou e o chefe da operação, juiz Sérgio Moro, aceitou a denúncia vazia, num espetáculo deprimente de dois operadores da lei. Isso porque foram palavras do próprio procurador Dallagnol, "Lula, sem provas, mas com convicção, seria o comandante máximo da corrupção na Petrobrás".

Aliás, em dezembro de 2016, Moro pediu e o MPF me denunciou, por possível ofensa ao funcionário público. Fui intimado, provavelmente por escrever um livro, exercendo meu direito de crítica até hoje garantido pela Constituição Federal, “A outra face de Sérgio Moro” ou por ter denunciado formalmente ao MPF, em novembro de 2016, a omissão da Lava Jato em relação à gestão do tucano Pedro Parente. Saiba dos locais de venda do livro(6).

Parente está liquidando a Petrobrás, vendendo ativos públicos, sem licitação, para quem e por quanto ele quer. Com o agravante de que Pedro Parente já é réu em outra ação sobre venda de ativos, quando ministro de FHC (1).

Na mesma tese de acusar sem provas, Moro e Dallagnol acusam Lula de ser proprietário de um apartamento triplex e de um sítio. A sociedade e qualquer estudante de direito sabe que, de forma elementar que  para provar se alguém é proprietário de um imóvel,  basta a escritura.

Mas essa turma quer provar que Lula é dono do triplex, com base em nada, já que a escritura está em nome da OAS. Simples assim. Há relatório da PF comprovando que Lula não é o dono do tríplex (5). Mas a Lava Jato insiste em perseguir Lula para prendê-lo ou para retirá-lo do páreo em 2018, impedindo-o de se candidatar.

Fazem o mesmo com o sítio em Atibaia, cuja escritura não tem nada a ver com Lula, mas querem provar a propriedade com a afirmação de que Lula teria ido lá 101 vezes (não sei como contaram), ou porque lula comprou pedalinhos e um  barco sem motor.

O Detran, quando um motorista é responsável por um acidente grave, manda-o de volta à escola para saber se ele faz jus à carteira de habilitação de motorista. Não seria o caso de mandar os dois (juiz e procurador) de volta aos bancos acadêmicos, pois eles desconhecem o elementar, para qualquer estudante de direito: Não existe crime por convicção muito menos sem provas!

Fonte:

* Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”