25.5.17

1- BABÁ DE MICHELZINHO GANHA CARGO NA CASA CIVIL PARA CONTINUAR CUIDANDO DO GAROTO; 2- BOECHAT SE “EXPLICA” SOBRE EDITORIAL DA BAND APOIANDO TEMER: “ATUO COM ABSOLUTA AUTONOMIA”

REDAÇÃO -


Leandra Barbosa dos Santos Brito, que ganhou notoriedade há duas semanas, ao ser apontada como babá do filho do presidente Michel Temer com remuneração bancada pelo Palácio do Planalto, foi nomeada pela Casa Civil da Presidência da República para exercer o cargo de assessora técnica no gabinete pessoal do presidente Temer.

A nomeação foi publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União. Na época em que o jornal “O Globo” divulgou que a servidora era babá de Michelzinho, o Planalto e o próprio presidente negaram a informação.

A edição do DOU não trouxe a exoneração de Leandra do cargo de assessora técnica no Gabinete-Adjunto de Informações em Apoio à Decisão do Gabinete Pessoal do Presidente da República (Gaia), que ela já ocupava.

De acordo com reportagem do “Globo”, Leandra disse que não é babá do filho do presidente, mas não teria especificado o tipo de trabalho que desenvolvia no Planalto. A reportagem contou ainda que Leandra dá expediente no Palácio do Jaburu e acompanha a família de Temer em viagens.

No dia 15 de maio, durante entrevista a rádios regionais, Temer, irritado, negou que a funcionária fosse babá de seu filho. “Se a (funcionária) não puder prestar serviços por lá (no Palácio do Jaburu), isso vai ser reformulado”, disse na ocasião. (…) (via Dia)

***
Boechat se “explica” sobre editorial da Band apoiando Temer: “Atuo com absoluta autonomia”


Dos meus cinco irmãos, dois me esculhambaram no “grupo da família” (os demais ainda não se pronunciaram) por causa do editorial que li na Band terça-feira (23), favorável a Michel Temer.

A dupla consanguínea não está sozinha: foram, talvez, milhares as porradas nas redes sociais pelo mesmo motivo. A muitas já respondi diretamente, mas não conseguirei fazer o mesmo com as demais. Então, se me permitem, seguem algumas ponderações:

“Editorial” assim está definido nos dicionários: “artigo (…) apresentando o ponto de vista do jornal, da empresa jornalística…”.

Sou âncora do Jornal da Band. Nele, há 12 anos apresento as notícias e os editoriais, sendo estes identificados por selo próprio no vídeo e pela assinatura “esta é a opinião do Grupo Bandeirantes de Comunicação”, oriundos da direção. Quem ouve meus comentários naquela mesma bancada ou na rádio BandNews FM sabe que inúmeras vezes – como agora – minhas posições conflitam com as da emissora. Os comentários estão arquivados, caso queiram conferir.

Atuo com absoluta autonomia, inclusive para divergir publicamente de meus patrões. Essa é a Band – e pergunto-lhes em que outra TV os profissionais gozam de igual condição. Na Globo? Na Record? No SBT?

É imperativo que as empresas de comunicação deixem claras suas opiniões institucionais – e o meio de fazê-lo são os editoriais.

Mesmo na idiotizante briga de torcida que domina o debate nacional, talvez fosse útil refletir sobre os méritos de redações onde jornalistas se sintam seguros para dizer o que está dito neste post.