25.5.17

1- CRISE PODE INFLUENCIAR JULGAMENTO DO TSE; 2- TEMER REVOGA DECRETO QUE AUTORIZA FORÇAS ARMADAS NO DF; 3- ROCHA LOURES DEVOLVE OS R$ 35 MIL QUE FALTAVAM DA ‘MALA DA PROPINA’

REDAÇÃO -

Ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ouvidos reservadamente, consideram que a governabilidade do presidente Michel Temer, alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF), será levada em conta no julgamento da chapa Dilma Rousseff-Temer, marcado para 6 de junho na corte eleitoral. Para eles, o quadro político e econômico dará, até lá, um cenário sobre o futuro do governo.

O julgamento, que pode levar à cassação da chapa e do mandato do presidente da República por abuso de poder econômico e político, é visto por partidos da base como um marco que vai definir a permanência ou não do peemedebista no Planalto. Nos bastidores, os magistrados apontam que na última semana o cenário político viveu uma série de reviravoltas. Até 6 de junho, portanto, apostam que será possível ter um panorama mais claro do que o atual. (via Estadão)

***
Temer revoga decreto que autoriza Forças Armadas no DF

O presidente Michel Temer (PMDB) revogou nesta quinta-feira (25/5) o decreto que autorizou o uso de tropas das Forças Armadas no Distrito Federal. A decisão, tomada após reunião com os ministros mais próximos, será publicada em uma edição extraordinária do Diário Oficial da União (DOU).

Após a revogação, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, veio a público para dizer que a suspensão do decreto ocorreu porque a ordem foi restabelecida. O chefe da pasta anunciou também que o governo acionou a Advocacia-Geral da União (AGU) para que sejam feitas perícias em todos os imóveis da Esplanada onde ocorreram atos de vandalismo e barbárie. (via Metropoles)

***
Rocha Loures devolve os R$ 35 mil que faltavam da ‘mala da propina’

O deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que recebeu uma mala com R$ 500 mil do frigorífico JBS, informou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que depositou os R$ 35 mil que faltava devolver. Na última segunda-feira, ele entregou à Polícia Federal (PF) uma mala com apenas R$ 465 mil. Rocha Loures também apresentou na corte o comprovante do depósito, feito na quarta-feira.

Rocha Loures é investigado num inquérito aberto no STF juntamente com o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG). O processo tem origem na delação de executivos do frigorífico JBS. (via Extra)