1.5.17

1º DE MAIO É DIA DE COMBATE E RESISTÊNCIA EM TODO MUNDO

DANIEL MAZOLA -

O Dia do Trabalhador é uma conquista da Luta da Classe Operária que impôs aos patrões e classe dominante um dia de Greve Geral para lembrar os mártires da luta dos trabalhadores.


Hoje, nos cinco continentes, as bandeiras de luta contra a exploração e a agressão imperialista estarão erguidas! É Dia 1º de Maio, saúdo vigorosamente as trabalhadoras e os trabalhadores do Brasil e do Mundo. 1º de Maio é dia de combate e resistência!

A classe trabalhadora tem muitos motivos para não considerar esse 1° de Maio como dia de festa, e sim como dia de luta. O ataque neoliberal do desgoverno Temer aos Direitos Trabalhistas e os acontecimentos da última sexta-feira, quando as forças de segurança e repressão do 'Estado Autoritário de Direita' agrediram manifestantes, reafirmam nossa Resistência, Combate e Luta. Essa é uma data tradicional de mobilizações em todo planeta, mas que neste momento adquire um caráter específico no Brasil diante dos ataques que os trabalhadores vêm sofrendo, sem precedentes na História Moderna do país.

"O crime de rico, a lei o cobre
O Estado esmaga o oprimido
Não há direitos para o pobre
Ao rico tudo é permitido
À opressão não mais sujeitos
Somos iguais todos os seres
Não mais deveres sem direitos
Não mais direitos sem deveres"

IMAGEM HISTÓRICA DO 1º DE MAIO NO BRASIL



Recordar é reafirmar a luta. “O 1º de Maio de 1919 foi uma manifestação sem precedentes no Rio de Janeiro. A polícia e o governo ficaram preocupados seriamente. Na Avenida Rio Branco, cheia desde a Praça Mauá até a Praça Floriano Peixoto, havia várias tribunas, onde oradores anarquistas defendiam as suas doutrinas sociais, sem o menor constrangimento. Essa grande massa humana, ao longo da Avenida, dava vivas à liberdade e à igualdade. Como a polícia limitou-se, apenas, a observar sem nenhuma interferência ou restrição, as manifestações terminaram em paz. Floresciam, então, as associações operárias. A polícia fechara a Federação (Operária), mas havia o Centro Cosmopolita, a União dos Tecelões, a União dos Operários em Construção Civil, a dos Sapateiros, as duas últimas na Praça da República 45.” (por Edgar Rodrigues).

OS MÁRTIRES DE CHICAGO

Em 1886, grandiosas batalhas operárias ocorreram no estado de Chicago, nos EUA, pelo direito a 8 horas de trabalho, 8 horas de repouso e 8 horas para outras atividades.

O aparato repressivo do 'Estado Autoritário de Direita' reprimiu aquela luta violentamente e, após uma farsa de julgamento, condenou e enforcou os dirigentes operários Adolph Ficher, Albert Parsons, August Spies e George Engel. Louis Lingg morreu na prisão. Michael Schwab, Oscar Neebe e Samuel Fielden, condenados à prisão perpétua, foram libertados anos depois devido a enorme pressão popular. Isso é LUTA DE CLASSES e História pura.

Sigamos sem temor, até a vitória final!

---
Saiba como foi a GREVE GERAL do dia 28/4: