28.5.17

1- A MULTIDÃO DAS DIRETAS QUE A IMPRENSA FINGE NÃO VER; 2- “DESCARAMENTO”: TEMER TIROU O FORO DE ROCHA LOURES POR SUSPEITA DE QUE ELE FARIA DELAÇÃO, DIZ ARAGÃO

REDAÇÃO -


O governo Temer, como todos sabem, apodreceu. Pela primeira vez na História, o Brasil tem um ocupante da presidência da República investigado por corrupção, organização criminosa e obstrução judicial, pego em flagrante, numa ação controlada da Polícia Federal.

Além disso, segundo o Instituto Datafolha, 85% já queriam a realização de eleições diretas, antes mesmo da divulgação dos grampos da JBS – o que indica que o número atual deve ser próximo a 100%.

Portanto, uma imprensa sintonizada com os anseios dos leitores teria total interesse em acompanhar de perto o que aconteceu neste domingo no Rio de Janeiro. Numa tarde fria e chuvosa em Copacabana, dezenas de milhares pessoas foram à praia para soltar dois gritos presos na garganta: Fora Temer e Diretas já.

Nada disso, porém, aconteceu. Assim como na ditadura militar, a imprensa brasileira, que agora se associou ao golpe parlamentar de 2016, fingiu não ver a gigantesca mobilização popular, que tende a continuar crescendo nos próximos dias.

O silêncio da mídia foi tão vergonhoso, que gerou protestos nas redes sociais. "Jornalismo? Milhares de pessoas numa grande manifestação em Copacabana por Diretas Já e os portais ignoram literalmente", escreveu o jornalista Florestan Fernandes Júnior.

Os barões da mídia sabem que Michel Temer se tornou inviável, mas correm para emplacar um presidente biônico. O motivo? Medo da volta de Luiz Inácio Lula da Silva. (via 247)

Leia também:
150 mil pessoas lotam praia de Copacabana em ato histórico por Diretas Já! Grande nomes da música como Caetano Veloso, Milton Nascimento e Teresa Cristina se unem em defesa da democracia.
(via Brasil de Fato)

***
“Descaramento”: Temer tirou o foro de Rocha Loures por suspeita de que ele faria delação, diz Aragão

O ex-ministro da Justiça no governo Dilma, Eugênio Aragão, comentou sobre a substituição de Osmar Serraglio por Torquato Jardim:

“Impressiona o descaramento do Sr. Temer na manipulação da investigação dos crimes a si atribuídos. Num primeiro momento, blindou seu parceiro Moreira Franco, elevando seu cargo à condição de Ministro de estado. Ninguém falou nada. Por muito menos a imprensa e o ministério público fizeram um escarcéu com a nomeação de Lula.

Mas agora passaram-se todos os limites. Suspeitando que seu estafeta da mala, Deputado suplente Rocha Loures, estava prestes a fechar acordo de delação com a PGR, resolveu tirar-lhe o foro privilegiado, na suposição de que na primeira instância talvez o acordo não saia.

Para isso, exonerou o Deputado Serraglio do cargo de Ministro da Justiça, para que reassuma sua vaga na Câmara. Rocha Loures é seu suplente.

Mas a manobra desavergonhada será um tiro n’água. Estando o Presidente da República implicado nos fatos delatados, o acordo continua na atribuição do PGR. Nada muda. Só ficou patente que o Sr. Temer é capaz de tudo para obstruir as investigações e, por isso, o seu afastamento do cargo de Presidente é agora mais urgente do que nunca.”