17.5.17

FEPOSPETRO INTEGRA COMITIVA DE FEDERAÇÕES QUE TENTA HOJE JUNTO AO SENADO REVERTER PONTOS DA REFORMA TRABALHISTA

Via FEPOSPETRO -


O presidente da Federação Estadual dos Frentistas (Fepospetro), Luiz Arraes, estará nesta quarta-feira (17) em Brasília/DF, onde se juntará ao grupo formado por dirigentes e representantes de vinte e quatro Federações, em nova iniciativa de pressão contra a Reforma Trabalhista. A agenda dos sindicalistas tem início na Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio – CNTC, onde às 10 horas acontece uma reunião preparatória à atividade do grupo, de debater com senadores pontos polêmicos da proposta de reforma trabalhista aprovada pela Câmara. Programada para o período da tarde, a ação dos dirigentes sindicais no Congresso Nacional tem como foco tentar construir com os senadores  um diálogo em torno de quatorze  itens do PLC 38/2017, ao qual a CNTC contesta em manifesto, no qual apresenta contraproposta.

Para Luiz Arraes, da Fepospetro, a retirada de direitos não ajudará a gerar novos empregos, conforme argumenta o governo. Ele diz ter esperança de que a tratativa em Brasília/DF possa ajudar a votar a favor dos trabalhadores os senadores indecisos, e também a levar a casa a rever, na proposta, pontos críticos, como o que se refere ao item da Redução do tempo de descanso, segundo o qual, o intervalo no horário do almoço poderá ser reduzido para apenas 30 minutos. Também controverso, o Contrato de trabalho intermitente (por hora), traz insegurança e imprevisibilidade para o trabalhador em relação à sua atuação e remuneração, na medida em que obrigará o trabalhador a ficar à disposição do empregador, esperando ser convocado conforme a necessidade ou interesse da empresa, e sem receber nada por isso. Carrega também grandes riscos para a classe trabalhadora a possibilidade da Prevalência do negociado sobre o legislado, regra na qual valerá mais os acordos do que o garantido em lei.

A atividade junto aos senadores é organizada pela CNTC, e integra o calendário do movimento “Ocupa Brasília”, organizado pelas centrais sindicais, e cuja programação na capital federal inclui vários atos do dia 15 ao dia 19, e, em 23 de maio, um dia de marcha da classe trabalhadora sobre Brasília, que deve terminar no Congresso Nacional.

Assessoria de Imprensa da Fepospetro