3.5.17

FRENTISTAS DO CEARÁ ROMPEM POLÍTICA DO CORONELISMO E CONQUISTAM AUMENTO REAL NOS SALÁRIOS

Via FENEPOSPETRO -

Após quatro meses de dura negociação, o Sindicato dos Frentistas do Ceará conquista aumento real para os trabalhadores e garante direitos na Convenção Coletiva.


A luta de classes nunca esteve tão acirrada como hoje no Brasil. Em pleno século XXI, os trabalhadores brasileiros lutam para garantir direitos básicos, que constam nas Convenções Coletivas e na Consolidação das Leis do Trabalho, do contrário estariam relegados à escravidão. No Nordeste e no Norte do país a situação ainda é mais grave, já que impera a política do coronelismo, onde uma elite tenta impor as regras e desestabilizar o movimento sindical. Nessas horas é preciso luta e resistência para vencer as oligarquias. Essa foi a estratégia usada pelo Sindicato dos Frentistas do Ceará para virar o jogo e fechar com sucesso, a negociação salarial dos 12 mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência do estado.

A crise econômica é usada, hoje, por todos os segmentos empresariais, para barganhar e impedir o aumento de salários. No Ceará, onde impera a política do coronelismo, negociar reajuste salarial e direitos para os trabalhadores se tornou uma verdadeira guerra. Mesmo com todas as dificuldades e a pressão dos patrões sobre os trabalhadores, o presidente do sindicato, Ardilis Arrais, conquistou para os frentistas um reajuste de 7%. Com o aumento o piso da categoria passou para R$ 1.281,80, já incluso o adicional de periculosidade.

CONQUISTA

Além do aumento salarial, o sindicato conquistou para a categoria reajuste de 11,11% no vale-refeição e manteve a cesta básica com 17 itens de produtos in natura. A Convenção Coletiva do Ceará garante aos trabalhadores de postos de combustíveis os benefícios da cesta básica e vale-refeição, mesmo quando os funcionários estão de férias, licença maternidade ou auxílio-doença.

PERFIL

A partir de agora, os donos de postos de combustíveis do Ceará terão que repassar ao sindicato as informações da Rais. Mediante desse dado, a entidade poderá traçar um perfil da categoria, com o controle da faixa etária e as regiões onde há mais rotatividade de emprego. As empresas informarão ao sindicato detalhes sobre a contração e dispensa de funcionários.

DIFICULDADES

Segundo Ardilis Arrais, por ser uma região onde ainda impera a política do coronelismo, o patrão exerce grande influência sobre os funcionários, que intimidados evitam participar das ações do sindicato. “O trabalhador tem medo de se filiar ao sindicato e ir à assembleia. As empresas também tentam dificultar o trabalho do sindicato, mas os dirigentes furam o bloqueio e fazem valer a lei, nem que seja através da força policial.”

FISCALIZAÇÃO

Para agilizar as fiscalizações nos postos de combustíveis nos 184 municípios do estado do Ceará, o Sindicato dos Frentistas está implantando uma plataforma digital capaz de enviar dados em tempo real para o departamento jurídico da entidade. Os fiscais do sindicato vão usar tablets para registrar e fotografar as irregularidades nos postos.

Ardilis Arrais disse que trabalhar em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego do Ceará agiliza a fiscalização e garante o cumprimento das leis e das normas de segurança e saúde nos postos de combustíveis do estado.

* Estefânia de Castro, assessoria de imprensa Fenepospetro