19.5.17

FRENTISTAS DO RIO DE JANEIRO FECHAM ACORDO COM PATRÕES E CONQUISTAM AUMENTO REAL NOS SALÁRIOS

Via SINPOSPETRO-RJ -

O reajuste é retroativo a 1º de março e as diferenças serão pagas até 15 de junho. O acordo da convenção coletiva 2017/2019 foi fechado nesta quinta-feira (18) entre patrões e empregados, na sede do SINPOSPETRO-RJ, em Vila Isabel.


A diretoria do SINPOSPETRO-RJ conquistou para os dez mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência do município do Rio de Janeiro aumento real nos salários. Com o reajuste de 6,5%, o salário do frentista passará para R$ 1.308,71, já incluso o adicional de periculosidade. O aumento é retroativo a 1º de março e as diferenças serão pagas até 15 de junho. Além dos salários, o sindicato conseguiu elevar o valor do vale-alimentação, da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e foi criada também a jornada diferenciada.

O sindicato conseguiu elevar o valor do auxílio-alimentação para R$ 185,15. O aumento é retroativo a data-base da categoria e as diferenças serão pagas em junho. Os trabalhadores também vão receber R$ 466,07 de Participação nos Lucros e Resultados. O abono será pago em três parcelas- cada uma no valor de R$ 155,35. A primeira parcela será paga em junho, a segunda em setembro e a terceira e última em novembro.

JORNADA DIFERENCIADA

A convenção estabelece a possibilidade de jornada de 12 horas trabalho com 36 horas de descanso. Os postos de combustíveis, no entanto, só poderão contratar 40% do seu quadro de funcionários pela jornada 12X36. Com o regime, o trabalhador labora 176 horas por mês, enquanto a jornada de 44 horas soma 196 horas. É bom deixar claro que a nova jornada não será imposta aos trabalhadores já contratados.

LUTA

O aumento real nos salários e nos benefícios, que pode até parecer pouco para o trabalhador, foi conquistado com muita luta. Após dois meses de negociação com os patrões se negando em conceder sequer a reposição total da inflação, a diretoria do sindicato conseguiu virar o jogo. Com isso, o vale-alimentação teve aumento real de 10,44%, a PLR de 5,44%, o seguro de vida 15,44% . O aumento real do salário foi de 1,99%. Para chegar ao aumento real é preciso subtrair o reajuste conquistado pela inflação acumulada entre março de 2016 e fevereiro de 2017.

Por causa do alto índice de desemprego e das políticas retrógradas do governo para retirar direitos dos trabalhadores, as negociações de 2017 foram as piores dos últimos anos, para todas as categorias. Se aproveitando da fragilidade do mercado de trabalho, muitos setores econômicos, além de não concederem aumento, ainda tentam retirar direitos básicos consagrados nas convenções coletivas.

No Rio de Janeiro, a diretoria do SINPOSPETRO-RJ lutou para garantir o aumento real nos salários e nos benefícios e manter todas as cláusulas da convenção coletiva. Todos os benefícios que constam na convenção coletiva foram conquistados com determinação pela diretoria nos últimos sete anos. O sindicato conquistou para a categoria: PLR; vale-alimentação; adicional de 30% de periculosidade para todos os trabalhadores, inclusive da loja de conveniência e a substituição do vale-transporte pelo mesmo valor do benefício em combustível. É bom que se frise que esses benefícios não foram dados espontaneamente pelos patrões. Eles foram conquistados com suor, negociação e persistência da diretoria do sindicato.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ