17.5.17

FRENTISTAS VÃO AO CONGRESSO PEDIR UM AMPLO DEBATE COM A SOCIEDADE ANTES DA VOTAÇÃO DAS REFORMAS

Via FENEPOSPETRO -

Representantes das federações filiadas à Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC) estão reunidos, em Brasília, para traçar as ações de luta contra as reformas retrógradas do governo Temer.

Eusébio P. Neto, Luiz Arraes e Francisco Soares.
O presidente da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO), Eusébio Pinto Neto, participa de reunião, na manhã desta quarta-feira (17), na Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), em Brasília. No encontro será definida a estratégia de luta dos sindicalistas dos setores de comércio e serviços contra o desemprego, a precarização da mão de obra e o retrocesso do país. À tarde, os sindicalistas vão ao Congresso alertar os parlamentares do risco das reformas trabalhista e da previdência serem aprovadas sem um amplo debate com a sociedade e a classe trabalhadora.

O encontro na CNTC tem por objetivo unificar e organizar as ações que serão desenvolvidas pelas entidades afiliadas em defesa dos trabalhadores do setor. Para o presidente da FENEPOSPETRO a mobilização, mesmo que tardia, pode alterar o curso do andamento dos projetos no Congresso. Eusébio Neto diz que apesar da resistência dos parlamentares em atender o clamor das ruas, os trabalhadores vão continuar lutando para enterrar essas propostas, mesmo que a classe operária tenha que começar tudo de novo.

Na reunião desta manhã será tirada também a estratégia da Marcha para Brasília, prevista para acontecer na próxima quarta-feira (24). Cada federação deverá enviar representantes para as manifestações no Congresso Nacional. Eusébio Neto informa que a Federação já convocou todos os seus sindicatos afiliados para participar do ato em defesa dos direitos dos trabalhadores. Segundo ele, os frentistas serão duramente penalizados pelas reformas do governo, principalmente pela PEC da previdência.

Segundo o presidente da FENEPOSPETRO, a reforma da previdência vai acabar com a aposentadoria especial do frentista, que corre o sério risco de morrer antes de se aposentar. “Com a PEC, o trabalhador de posto de combustíveis só poderá solicitar a aposentadoria especial se comprovar que adoeceu em consequência do trabalho com produtos tóxicos e inflamáveis, o que é um absurdo”.

FEPOSPETRO

Uma comitiva formada por dirigentes dos Sindicatos dos Frentistas de São Paulo também vai participar da reunião de hoje na CNTC. O presidente da Federação dos Frentistas do estado de São Paulo, Luiz Arraes, diz que esse é o momento para os trabalhadores mostrarem a sua força. Não podemos deixar passar propostas como as que pretendem acabar com a aposentadoria especial, que afeta diretamente os trabalhadores de postos de combustíveis. Segundo ele, as reformas são manobras do governo para extinguir direitos e anular a força dos trabalhadores. “ Temos um compromisso com as futuras gerações e não vamos entrar para história como os sindicalistas que saíram pela porta dos fundos”, completa.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Fenepospetro