14.5.17

GLOBO: AI, COMO SOU BANDIDA!

EMANUEL CANCELLA -


A Globo persegue a Petrobrás e os petroleiros, no sentido de enfraquecer a Petrobrás para entregá-la aos gringos.

No governo de FHC, na década de 90, lá estava a Globo, em conluio com o tucano, tentando privatizar a Petrobrás. Na ocasião, para desmoralizar a empresa, assim seria mais fácil “vende-la”, a Globo fez campanha comparando a Petrobrás a um paquiderme e chamando os petroleiros de marajás.

Em 2006, respondendo à Globo e todos os seus algozes, a Petrobrás e os petroleiros desenvolveram tecnologia inédita no mundo que permitiu a descoberta do pré-sal.  Mesmo assim a Globo não se conforma, como na reportagem: “(..).Família midiática mais rica do mundo quer a abertura do pré-sal a empresas estrangeiras e questiona a capacidade da Petrobras de tirar o petróleo do fundo do mar”(1).

E continua destilando sua capacidade de manipulação, quando fez mais um editorial, em dezembro de 2015: “O pré-sal pode ser patrimônio inútil” (2).

Atacando os petroleiros a Globo, no Fantástico, fez denúncia espúria contra o nosso Beneficio Farmácia, quando disse:

Um programa de compra de remédios na Petrobras se transformou em mais uma fonte de fraudes. Até cachorro teve a conta da farmácia bancada pelos cofres da empresa...(3)”

Se alguém comprou remédio para cachorro ou usou receita sem assinatura do médico, ambos, quem comprou e quem vendeu, precisam ser punidos,  pois trata-se de um desvio de conduta e o programa proíbe isso, mas não acabar com o benefício que ajudava o petroleiro.

Muitos petroleiros acham que a denúncia na Globo, contra o Beneficio Farmácia, foi matéria paga pela direção da empresa, capitaneada pelo Pedro Parente, no sentido de difamar a categoria e enfraquecer a resistência ao desmonte escancarado que ele pratica na Petrobrás.

Fato é que a direção da empresa não respondeu ao ataque espúrio contra o benefício  e a retirada de remédio nas farmácias está suspensa até hoje. Agora o petroleiro compra o remédio e busca o reembolso num sistema complicadíssimo, o que leva muitos a desistirem de pegar algum reembolso.

É preciso que a sociedade saiba que o Beneficio Farmácia é lícito e se sustenta. O beneficio, quando funcionava, permitia que os petroleiros retirassem alguns remédios, não todos, numa rede de farmácias credenciadas em todo o Brasil, e para isso pagava uma quantia fixa por mês. Aliás, mesmo suspenso o Beneficio Farmácia, todo petroleiro e seus dependentes continuam pagando cerca de R$14 por titular e cada dependente no contracheque, envolvendo na época cerca de 300 mil entre petroleiros e seus dependentes. Muitos petroleiros reclamam que não utilizam nenhum medicamento e mesmo assim ele e seus dependentes pagam. Todos pagam independente de usar ou não o Beneficio.

Para entregar a empresa, a Globo juntou-se à Lava Jato, que, camuflados de combatentes da corrupção, na verdade querem mesmo é repassar nosso ouro negro aos americanos. Os EUA, em outros países, jogam bombas e destroem o povo e aqui se acumpliciam com pessoas que se dizem brasileiros, tudo  para abocanhar o petróleo alheio,  já que suas reservas estão se esgotando.

Precisamos retomar a campanha O Petróleo é Nosso!, quando brasileiros, civis e militares, comunistas e conservadores organizaram o maior movimento cívico que esse país conheceu. Sem esquecer que, naquela época, o petróleo no Brasil era apenas um sonho.

Hoje, principalmente com a descoberta do pré-sal, que o petróleo é uma realidade, enquanto decidimos quando retomaremos a campanha, a Globo está em plena propaganda espúria para difamar os petroleiros e destruir a Petrobrás!

Fonte:
1-http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/02/globo-se-irrita-com-manifesto-de-intelectuais-em-defesa-da-petrobras.html
2-https://oglobo.globo.com/opiniao/o-pre-sal-pode-ser-patrimonio-inutil-18331727
3-http://g1.globo.com/hora1/noticia/2016/06/programa-de-beneficios-revela-mais-uma-fonte-de-fraudes-na-petrobras.html

Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”