12.5.17

IMPASSE MARCA A NEGOCIAÇÃO SALARIAL DOS FRENTISTAS DO MUNICÍPIO RIO DE JANEIRO

Via SINPOSPETRO-RJ -

Sindicato rejeita mudança na jornada de trabalho do frentista e uma nova rodada de negociação está marcada para a próxima quinta-feira (18).


Continua indefinida a negociação salarial dos dez mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência do município do RJ. A reunião de mediação, nesta quinta-feira (11) entre representantes do SINPOSPETRO-RJ e do SINDCOMB (sindicato patronal), no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) terminou sem acordo, após três horas de intensos debates. O impasse é provocado pelos patrões, que insistem em impor uma carga horária diferenciada para a categoria. Mais uma vez, a proposta patronal foi veementemente rejeitada pela diretoria do SINPOSPETRO-RJ, que não aceita mudanças na carga horária dos frentistas.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ criticou a proposta de mudança de horário na jornada de trabalho, que além de ir contra a Convenção Coletiva atual da categoria, vai trazer prejuízos para saúde do frentista. Eusébio Neto afirmou que qualquer mudança precisa da aprovação da categoria, que não pode ser tratada como escrava. Ele denuncia que apesar de o sindicato brigar há sete anos por melhorias nos salários e nas condições de trabalho do frentista, a categoria do RJ ainda recebe um dos piores pisos do Brasil, ficando atrás até dos estados do Norte do país.

Eusébio Neto lembra que o sindicato começou a negociar efetivamente com o patronal em 2011, depois de ser reconhecido pela Justiça do Trabalho, em 2010, como o representante da categoria. Na época, a presença dos dirigentes do SINPOSPETRO-RJ na mesa de negociação incomodou os patrões, que estavam acostumados a não ceder e nem conceder direitos.

Nos últimos sete anos, a diretoria do SINPOSPETRO-RJ conquistou aumento real para a categoria, vale-alimentação, Participação nos Lucros e Resultados e estendeu para todos os trabalhadores o adicional de 30% de periculosidade, inclusive para os funcionários das lojas de conveniência. Essas conquistas, portanto, são fruto de muita luta e determinação da diretoria, que sozinha enfrenta os patrões e briga por aumento.

O sindicato que constrói uma história de luta e resistência não vai se deixar levar pela pressão dos patrões. Essa é a hora dos trabalhadores tomarem uma posição e lutar por dignidade e reconhecimento. Se o trabalhador ceder às pressões vai acabar escravizado e esmolando migalhas de salário. O frentista tem seu valor e deve fazer valer o seu direito.

Os trabalhadores de postos de combustíveis são respeitados em todo o país e não será o Rio de Janeiro, a vitrine do Brasil no mundo, que vai manchar essa imagem. A categoria é guerreira, trabalha sob sol, chuva e sereno, sem folgas nos feriados, inclusive no que comemora o Dia do Frentista. Exposto à violência da cidade mais perigosa do Brasil, o frentista recebe dinheiro do cliente, sem ganhar adicional de caixa; trabalha à noite, sem qualquer segurança e apesar de todo o esforço e comprometimento, é desrespeitado e ignorado pelos patrões.

A diretoria do SINPOSPETRO-RJ se mantém firme na luta por direitos e espera que o SINDCOMB repense suas ações e respeite os trabalhadores que ajudam a aumentar os lucros das empresas.

NEGOCIAÇÃO

A categoria, com data-base em 1º de março, reivindica um aumento salarial de 16,36%. Além do reajuste, os trabalhadores exigem vale-alimentação no valor de R$ 300,00, um piso salarial da categoria de Participação nos Lucros e Resultados (PLR), vale-transporte gratuito e tíquete-refeição diário de R$ 20,00, antiga reivindicação da categoria.

Uma nova rodada de negociação foi marcada para a próxima quinta-feira (18), às 15h na sede do SINPOSPETRO-RJ, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio. A diretoria do sindicato torce para que a negociação na casa do trabalhador avance e chegue a um acordo que contemple as necessidades dos frentistas, uma categoria que com profissionalismo e seriedade se transformou no cartão de visitas do Rio de Janeiro.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ