29.5.17

NA PETROBRÁS, A MARACUTAIA DE PARENTE É TAMANHO FAMÍLIA

EMANUEL CANCELLA -


Tudo que os petroleiros construíram, por 63 anos, está sendo roubado e entregue principalmente aos gringos. O governo golpista de Michel Temer, de braços dado com o PSDB, está destruindo a maior construção dos trabalhadores brasileiros.

Em nome de uma dívida que, não chega a 10% do valor do pré-sal, o tucano nomeado por Michel Temer como presidente da Petrobrás, Pedro Parente, distribui, aos comparsas, ativos como a Petroquímica de Suape pelo valor de cinco dias de faturamento e o campo de Carcará, a preço de um refrigerante o barril (6,7).

Algum banco deixaria de empresta dinheiro a um cliente que tem dividas no valor de 10% de seu patrimônio? Segundo Parente a Petrobrás tem divida de US$ 100 Bi e só os 50 BI de barris do pré-sal valem algo em torno de US$ 3 TRI (8). Sem falar no faturamento da Petrobrás que é a maior entre as empresa brasileira.  Mas a opção de Parente é entregar a Petrobrás como tentou fazer FHC com a privatização.

Pedro parente foi posto lá para entregar a Petrobrás. Tem modus operandis conhecido,  pois já vendia ativos quando era ministro de FHC, inclusive sendo réu de ação movida por petroleiro desde essa época (5). Agora, Pedro faz a maior liquidação da Petrobrás, e, sem licitação, vendendo ativos valiosíssimos para quem quer e pelo valor que ele próprio determina.

O juiz Sérgio Moro, o generoso, junto com o procurador Deltan Dallagnol, que querem atribuir o título de “Comandante máximo da corrupção na Petrobrás” a Lula, mesmo sem provas, quando na verdade, FHC e Pedro Parente são merecedores incontestes desse título, e, o que é mais grave, com provas e com convicção.

FHC além das inúmeras denuncias na Petrobrás na Lava Jato algumas envolvendo seu próprio Filho e contra Pedro Parente existe uma denuncia formalizada no MPF em novembro de 2016 (2,3,4).

Moro, o chefe da lava Jato, tem sido muito mais generoso com Pedro e FHC do que foi com a mulher de Cunha. Com a mulher de Cunha Moro, pelo menos absolveu e mandou devolver o dinheiro, entretanto com os dois tucanos, FHC e Parente, nem investigação existe.

Maria Silva, presidente do BNDES, jogou a toalha, renunciando ao cargo. Ela é ré junto com Pedro Parente, em ação que versa sobre venda de ativos. Já Pedro Parente reconhece a crise no país, mas quer ficar na Petrobrás até 2019 (1). Os petroleiros estão ligados a FNP e a FUP exigem a saída de Pedro Parente da Petrobrás.

Mesmo Pedro Parente sendo réu em ação, quando ministro de FHC, e continuar a cometer os mesmos crimes, não adianta a sociedade esperar qualquer ação contra FHC e Pedro Parente, através da lava Jato. Muito pelo contrário, com os vazamentos seletivos para desestabilizar Dilma e desmoralizar a Petrobras, a Lava Jato ajudava a preparar o terreno para agora vir um golpista e entregar tudo.

Em novembro de 2016, enquanto dirigente da FNP e do Sindipetro/RJ, formalizei ação denunciando a omissão da Lava Jato na Petrobrás e o que recebi foi uma intimação em dezembro do mesmo ano por possível atentado contra a honra de Moro (9).

Quem sabe apareça um juiz de um tribunal, como aquele que denunciou a JBS, junto com o presidente golpista, Michel Temer, e, pela primeira vez, um tucano, o senador Aécio Neves.

Pedro Parente deveria aproveita a saída de Maria Silvia do BNDES e também sair de fininho, pois o seu chefe, o golpista Michel Temer, está saindo e, pelo conjunto da obra, dificilmente vai se livrar da cadeia. E Pedro Parente é reincidente no crime, cuja a pena, como diria o comentarista de arbitragem no futebol, tem regra e é clara:

Segundo a lei 8666/93 Art. 89. Dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses previstas em lei, ou deixar de observar as formalidades pertinentes à dispensa ou à inexigibilidade:

Pena - detenção, de 3 (três) a 5 (cinco) anos, e multa.

Parágrafo único. Na mesma pena incorre aquele que, tendo comprovadamente concorrido para a consumação da ilegalidade, beneficiou-se da dispensa ou inexigibilidade ilegal, para celebrar contrato com o Poder Público.

Fica aí o recado da FNP e da FUP: Para Pedro, Pedro para!

Fonte:
1-http://www.valor.com.br/politica/4978112/parente-reconhece-crise-politica-mas-diz-ficar-na-petrobras-ate-2019    
2-http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/09/delator-cita-filho-fhc-esquema-corrupcao-petrobras.html
3-http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/10/cervero-filho-fhc-sabia-termeletrica-contratado-petrobras.html
4-http://fnpetroleiros.org.br/petroleiro-denuncia-a-operacao-lava-jato-ao-mpf-veja-na-integra-teor-da-denuncia-protocolada-ontem/
5-http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2016/06/presidentes-da-petrobras-e-do-bndes-sao-reus-em-acao-por-rombo-bilionario-9872.html
6-http://www.vermelho.org.br/noticia/285181-1
7-http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/127/escandalo-da-petroquimica-de-suape-a-pasadena-de-temer
8-http://www.valor.com.br/empresas/4908564/divida-da-petrobras-fica-abaixo-de-us-100-bi-com-ajuda-do-cambio
9-http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/288251/Petroleiro-%C3%A9-intimado-pela-PF-ap%C3%B3s-criticar-Moro-e-Lava-Jato.htm

* Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”