19.5.17

O FANTÁSTICO TRIBUNAL DO DR. MORO

EMANUEL CANCELLA -


Ele foi premiado pela Globo e exaltado pelas principais revistas estadunidenses, Fortune e Time, esta última até o premiou (11).

O prêmio da Globo é porque ela sempre teve interesse direto na entrega da Petrobras. Já no governo de FHC, defendeu, abertamente e de forma espúria, a privatização da Empresa. Como a estratégia é desmoralizar primeiro para depois proceder a entrega, então, para isso, a Globo passou a comparar a Petrobrás a um paquiderme e chamava os petroleiros de marajás.

Essa campanha maciça de combate a corrupção na Petrobrás é para eliminar uma eventual resistência da categoria e da sociedade brasileira na entrega de seu maior patrimônio.

Já o motivo dos americanos em prestigiar quem facilita a liquidação da Petrobrás é simplesmente porque eles não têm grandes reservas, motivo pelo qual tentam expropriar o petróleo alheio, derrubando governos e jogando bombas mundo afora. Em nosso continente, foca principalmente na Venezuela e Brasil.

Verdade seja dita, Moro faz o que pode para entregar nosso petróleo e destruir a Petrobrás. Convidou os procuradores americanos para investigar a Petrobrás; mandou os maiores corruptos da Petrobrás testemunharem contra a Petrobrás em tribunais dos EUA e faz vista grossa com a criminosa liquidação que Pedro Parente faz agora na Petrobrás, o que inclui até áreas do pré-sal.

Os entreguistas sabem que Lula e Dilma jamais entregariam a Petrobrás, então se tornava imprescindível que estivesse no poder algum entreguista, de preferência tucano. Então, na última eleição, trabalharam arduamente para Dilma não se eleger.

Na operação Lava Jato, chefiada por Moro, os delegados que compõem a força tarefa da operação fizeram campanha em seu blog pelo candidato tucano, Aécio Neves, inclusive nesse espaço chamaram Lula e Dilma de anta (3).

E não parou por aí. Saiu da Lava Jato a denúncia mentirosa de que Lula e Dilma saberiam da corrupção na Petrobrás, isso na véspera da eleição (4).

Com Dilma eleita, continuou a Lava Jato com seus vazamentos seletivos criminosos. Não havia necessidade de provas, só elucubrações bastavam para jogar o povo contra a presidente eleita.

Moro, em seu tribunal, criou uma também criminosa indústria de delação premiada. Agora parte da sociedade já sabe que, no tribunal do Moro, a delação só vale se for contra Lula, Dilma ou o PT.

Por outro lado, a Lava Jato não investiga nem prendeu tucano. Nada aconteceu ao tucano Aécio Neves na Lava Jato, mesmo sendo sete vezes delatado! A esperança agora é que ele, citado na gravação do dono da JBS,  inaugure a nova ala de celas que Moro construiu em Curitiba.

Continuando na proteção aos tucanos entreguistas, é fato que FHC e seu filho já foram citados várias vezes em corrupção na Petrobrás e nada de Moro, pelo menos,investigá-los (5,6).

Em novembro de 2016 denunciei formalmente, enquanto diretor da FNP e do Sindipetro-RJ, a Lava Jato de se omitir frente aos descalabros de Parente. Nem isso sensibilizou Moro no sentido de investigar a gestão de Parente (7)!

Muito pelo contrário, em defesa própria, Moro malandramente ameaça quem lhe critica, usando o MPF e a Policia Federal: fui acusado pelo MPF de ofender a honra de Moro, fui intimado e respondo na Justiça por isso; como também o blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, foi convocado  e processado por crime de opinião; ele também intimou o diretor adjunto da  Secretaria de Saúde do Trabalhador da CUT – Rio, Roberto Ponciano, serventuário da Justiça Federal no Rio (2).

Alegar suspeição contra o juiz Moro é inócuo, mesmo sua mulher trabalhando para o PSDB e empresas estrangeiras de petróleo (8,9). O PSDB é o partido que, quando governou, tentou sem sucesso privatizar a Petrobrás e as multis de petróleo são concorrentes diretas da Petrobrás.  Coincidência ou não, são justamente os mais abençoados com os julgados de Moro.

Diante das inúmeras aberrações, Moro,há muito, deixou de ser uma unanimidade, agora outros juízes e procuradores começam a lhe puxar o tapete. Libertaram José Dirceu (14), reabriram o Instituto Lula (13), e, diante da omissão de Moro na investigação de Pedro Parente na liquidação da Petrobrás, liminares estão sendo concedidas barrando a venda criminosa de ativos sem licitação, onde Pedro Parente escolhe para quem e por quanto vende (15).

Para aqueles que estão preocupados com o futuro de Moro, diante da prisão do autor das dez medidas de combate à corrupção, fiquem tranqüilos, pois a pena máxima para juiz é uma aposentadoria compulsória(1). Aliás, Moro e Dallagnol para salvar a propria pele fizeram corpo a corpo para que juízes e procuradores ficassem de fora da lei de responsabilidade (10).

Fonte:

* Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, integra a coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), sendo autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”