4.5.17

POESIAS: MÍDIA E MENTIRA; CERTEZAS

MARCELO MÁRIO DE MELO -


MÍDIA E MENTIRA

O monstro midiático da mentira
esconde
mostra
retalhos
do todo esquartejado

bendizendo
danos

ditados
editados
dos donos

em jogo
de cartas
ocultas.

Manto
de neutralidade remendada
verniz de verdade
com validade vencida
som de $inos de $ifrão
e pregação
nas catedrais
do jornalismo cinza.

O que?
Quem?
Quando?
Onde?
Como?
Por quê?
Para quê?
O cidadão precisa saber.

***
CERTEZAS

O meu medo principia
quando a certeza se entranha
e fecha todas as portas
a perguntas sem resposta.

Antevejo a voz uníssona
motosserra diligente
devastando o matagal
apontado para as nuvens.

Na certeza certamente
se deverá insistir
em lavoura conferindo
sementes flores e frutos.

Sempre há certezas incertas
ainda em germinação
que precisam florescer.

Há certezas provisórias
há certezas controversas
há certezas insensatas.

Os acertos da certeza
pedem comportas abertas
às trinta mil cachoeiras
do rio da perguntação.