1.6.17

1- ARTISTAS DE DIREITA E ESQUERDA SE JUNTAM NA CASA DA MULHER DE CAETANO VELOSO E FORMAM O GRUPO “TEMER JAMAIS”; 2- PSDB DESCE DO MURO NA PRÓXIMA SEMANA, SERÁ O FIM PARA TEMER

REDAÇÃO -


Caetano Veloso, Wagner Moura e Camila Pitanga diziam que era golpe.

Marcelo Serrado e Marcio Garcia apareceram numa foto com colegas globais como Susana Vieira, todos de camiseta verde-amarela do #MoroBloco, a bordo de uma van que os levaria a um protesto em Copacabana a favor do impeachment que acabou se concretizando e removendo Dilma Rousseff da Presidência.

Há um ano, seria difícil acreditar que o retrato postado pela atriz Letícia Sabatella no Instagram, nesta quinta-feira (1º), não era uma montagem. Pode acreditar. Em 2017, Caetano, Wagner, Camila, Marcelo e Marcio dividiram o quadro após encontrar um denominador comum: “Fora, Temer”. Quer dizer…

“‘Fora, Temer’, não, isso lembra o passado. Mudamos o slogan: ‘Temer, jamais'”, diz à Folha Serrado, que em 2014 votou em Aécio Neves (hoje senador afastado ) para presidente (“e, antes, duas vezes no Lula”, ressalta).

Ele interpreta o juiz Sergio Moro em “Polícia Federal – A Lei É para Todos, filme sobre a Lava Jato. Já Wagner criticou o magistrado (“age como um promotor”) em artigo publicado neste jornal em março de 2016. A discórdia ideológica não os impediu de unir forças num evento que juntou artistas de esquerda e direita que querem a queda do presidente Michel Temer.

Aconteceu no apartamento de Paula Lavigne, empresária e companheira de Caetano, na quarta (31). “Eles pediram a casa, emprestei com amor”, ela diz sobre os articuladores do encontro: Wagner Moura e o músico Tico Santa Cruz, que em dezembro de 2015 defendeu Dilma, “mulher honesta até que provem o contrário”, hoje investigada na Lava Jato.

Numa noite “superdemocrática”, em que “cada um trouxe um vinho, e a mulher do Tico, uma torta de frango maravilhosa”, as divergências foram poucas, afirma Paula. Uma ala, por exemplo, era reticente à ideia –abraçada pela maioria– de eleições diretas caso o presidente caia.

Seguidores de Sabatella no Instagram desconfiaram do apartidarismo daquela trupe –a foto incluiu 30 pessoas, entre elas os globais Juliano Cazarré, Gloria Pires, Dira Paes, Christiane Torloni e Maria Padilha. “Tem muito infiltrado da direita nessa foto!”, comentou um. Outro: “Olha o coxinha Serrado!!”. (…) (via Folha)


***
PSDB DESCE DO MURO NA PRÓXIMA SEMANA

Cada vez mais pressionado por deputados federais e estaduais para não tocar violino enquanto o navio de Michel Temer afunda, o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati, afirmou nesta quinta-feira, 1º, que o partido irá tomar uma decisão definitiva na próxima, independente da decisão do TSE sobre a cassação do mandato de Temer.

"Nós do PSDB vamos ter que tomar uma decisão, que eu não sei qual será, seja qual for o resultado do TSE. Semana que vem vamos nos reunir e resolver. O partido não pode se dividir. Vou fazer o possível e o impossível para que, na minha presidência interina, o PSDB não se divida" disse Tasso.

"A posição da direção do partido e da maioria dos membros do partido — evidentemente nós não pensamos com a mesma cabeça, existem sensibilidades diferentes, realidades regionais diferentes — na sua linha dominante, é de um partido que está no governo, que apoia o governo e que sustentará o governo", disse o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, durante encontro de chanceleres da Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington.

Planalto já contabiliza as baixas tucanas no Congresso, que podem inviabilizar Michel Temer de vez. (via 247)