2.6.17

FRENTISTAS DO RIO DE JANEIRO PARTICIPAM DE ENCONTRO NACIONAL DA CATEGORIA, EM BRASÍLIA

Via SINPOSPETRO-RJ-

Durante dois dias dirigentes dos Sindicatos dos Frentistas de todo o país se reuniram, em Brasília, para debater o setor de combustíveis. Os diretores dos sindicatos do Rio de Janeiro também participaram do encontro.


O presidente do SINPOSPETRO-RJ e também da Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO), Eusébio Pinto Neto, coordenou o encontro nacional dos dirigentes da categoria, que reuniu mais de 70 sindicalistas, na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC), em Brasília. Os presidentes dos Sindicatos de Niterói, Alexsandro Silva e de Campos dos Goytacazes, Valdeci Guimarães; e os diretores do Rio Gilberto Duarte e Isaías Albuquerque, que fazem parte da diretoria da federação, participaram dos debates sobre a conjuntura política, restruturação do movimento sindical e o mercado de combustíveis.

A reforma da previdência, que vai afetar os trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência em todo o país, foi destaque dos debates na quarta-feira (31). A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Previdência, em tramitação, no Congresso Nacional, acaba com o direito à aposentadoria especial do frentista. De acordo com a proposta, o frentista só poderá se aposentar, após 25 anos de contribuição, se comprovar que adoeceu por causa dos produtos manuseados no posto de combustíveis.

Ao explicar à categoria as mudanças propostas na PEC, o diretor técnico do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP), Antônio Augusto Queiroz, afirmou que com a reforma da previdência o brasileiro vai morrer sem se aposentar. O analista político disse que a proposta do governo, baseada no modelo europeu, não se enquadra a realidade do país. A PEC fixa em 65 anos a idade mínima para o homem se aposentar, no entanto, dados da Organização Mundial de Saúde(OMS) mostram que o brasileiro morre em torno dos 65 anos e seis meses de idade. Antônio alertou que a matemática não deixa dúvidas, o trabalhador vai morrer seis meses após conseguir se aposentar.

O relator da CPI da Previdência, senador Hélio José (PMDB-DF), apresentou, aos sindicalistas, dados da caixa-preta do INSS. Segundo o parlamentar, o deficit da previdência é provocado pelas dívidas dos grandes conglomerados econômicos, que não repassam a contribuição à previdência. Hélio José o informou que o grande objetivo da CPI é provar que quem tem desconto no contracheque: trabalhadores, servidores públicos e aposentados não têm culpa do rombo da previdência.

SETOR DE COMBUSTÍVEIS

O crescimento do setor de revenda de combustíveis nos últimos anos foi tema dos debates desta quinta-feira(1º).Segundo o diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos( DIEESE), Altair Garcia, mesmo com a crise, a venda de gasolina no país está aquecida. Ele destacou que o setor continua crescendo, com a abertura de novos postos de combustíveis em todo país.

No último dia do encontro os dirigentes dos frentistas aprovaram, por unanimidade, a indicação de Antônio Marcos dos Santos, presidente do Sindicato dos Frentistas de São José do Rio Preto (SP) para coordenar a secretaria do setor de combustíveis da Força Sindical. A vice-presidente do SINPOSPETRO-RJ, Aparecida Evaristo, também integra a secretaria, que tem por objetivo organizar, elaborar a pauta e debater amplamente o setor, que apresenta problemas pontuais.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ