7.7.17

1- TASSO JÁ TEM O QUE PRECISA PARA DAR ADEUS A TEMER: DELAÇÃO DE CUNHA; 2- JARBAS VASCONCELOS É O 1º PEEMEDEBISTA A DIZER PUBLICAMENTE QUE VOTARÁ CONTRA TEMER NA CÂMARA

REDAÇÃO -


Em meio a conversas que citam cada vez mais o nome do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), como substituto de Michel Temer, e que dizem até que o deputado já encomendou seu terno para a posse, o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), afirmou nesta quinta-feira 6 que o governo “caminha para a ingovernabilidade”.

O tucano avalia que o cenário atual está parecido com o que antecedeu o processo de impeachment que tirou Dilma Rousseff do poder. Se Eduardo Cunha (PMDB-RJ) fizer delação premiada, acredita, “não tem o que discutir mais”.

“Se vier essa delação não sei nem quem vai ser citado, quem não vai ser, mas vai ser um semestre terrível para nós”, disse. “Não dá para viver cada semana uma nova crise. Está na hora de buscar alguma estabilidade”, acrescentou.

Para o tucano, há “várias opções” de nomes para a “travessia”, numa possível sucessão de Temer. Segundo ele, “tem que ser alguém que dê governabilidade” para o País até a eleição de 2018. “Isso não é algo difícil de se encontrar”, afirma.

“Se vier um afastamento pela Câmara, ele (Maia) é presidente por seis meses. Se Temer renunciasse já seria diferente, mas, se passar a licença para a denúncia, aí ele (Maia) é presidente por seis meses e tem condições de fazer, até pelo cargo que possui na Câmara, de juntar os partidos ao redor com um mínimo de estabilidade para o País”, opina.

PS: O que complica é Aécio Neves, que manteve o mandato no Senado graças ao PMDB. Mas o PMDB não teria problema nenhum trair Temer. Está no DNA dos peemedebistas. (via Brasil247)

***
Jarbas Vasconcelos é o 1º peemedebista a dizer publicamente que votará contra Temer na Câmara

O deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirmou que vai votar pelo acolhimento da denúncia contra Temer na Câmara dos Deputados.

Jarbas é o primeiro deputado peemedebista a dizer isso publicamente. “Em toda minha vida pública, eu fui a favor de que se investigue denúncias graves, que é o caso. Sou do partido do presidente, mas voto com a minha consciência. Por isso voto para que se prossiga a investigação e que a defesa e a acusação possam se colocar com propriedade”, declarou em nota.