6.7.17

FORO PRIVILEGIADO, NA PAUTA, MAS SABOTADO

HELIO FERNANDES -

Está completando exatamente 1 mês que a comunidade teve uma grande satisfação: foi anunciado que o Supremo votaria o fim desse amaldiçoado beneficio inconstitucional, que protege uma casta de poderosos. Tão importantes, que se mantém impunes e imunes. De tal maneira inatingíveis, que nem tomam conhecimento do principio constitucional, "todos são iguais perante a lei".

Aberta a sessão, com a palavra o relator, Luiz Roberto Barroso. Fiquei assistindo, sem surpresa, certo do conteúdo do seu voto, da argumentação irrevogável. Acabou Barroso, acabou também a alegria geral, começou a votar o ultimo Ministro nomeado, Alexandre de Moraes. Era a primeira vez que votava no pleno.

Leia mais na COLUNA