28.7.17

GANJA TALKS EM SAMPA

ANDRÉ BARROS -


Com imensa honra, fui convidado para o 2º Ganja Talks, festival da maconha de São Paulo, encontro sobre cultura, produtos, livros, filmes, negócios, exposições e debates canábicos. Com o grande Profeta Verde, companheiro de muitos anos, vou participar de um bate-papo sobre a importância da construção da bancada parlamentar da maconha.

O encontro tem como tema o histórico o Verão da Lata de 1987, quando 22 toneladas de maconha foram lançadas ao mar pelo navio Solana Star. Lembro que à época não era fácil achar uma daquelas milhares de latas que boiavam pelos mares de São Paulo e Rio de Janeiro. Hoje, pensando bem, fico estarrecido com a quantidade de maconha que rolava, pois, além das que boiavam em nossos mares, outras toneladas circulavam por nossas grandes cidades.

Caminhando pela orla de Copacabana, comecei a pensar sobre o que dizer nesse iminente e maravilhoso encontro. O Estado e seus aparelhos ideológicos e de repressão são os nosso temas. Nossa luta possui muitas frentes, como o uso medicinal e a formação de coletivos dispostos ao enfrentamento pelo uso recreativo. Todas as vertentes são importantes, mas não podemos esquecer que avançamos no debate em razão da Marcha da Maconha, que superou a proibição com a garantia de duas decisões unânimes da Suprema Corte para realizar um evento com milhares de pessoas nas avenidas, ruas e praças do Brasil defendendo a mudança de uma lei.

Será que a mudança da lei passa por esse Congresso Nacional? Parece que sim, pois as circunstâncias e condições estão longe da destruição desse Estado capitalista, careta e conservador.

Portanto, vale a pena participar do processo eleitoral e lutar para ter representantes nos parlamentos que defendem a legalização da maconha? A pergunta e a expectativa do debate ficam na Vila Madalena!

Se a nossa luta é pela descriminalização e a regulamentação da maconha, que precisam ter a aprovação do legislativo e a sanção do executivo, porque não vamos participar exatamente da dificílima batalha pela eleição de parlamentares que vão defender a mudança dessas leis?

Muitos criticam nossa participação no processo eleitoral, como se fôssemos oportunistas, mas existe uma questão para a reflexão: Será que a maconha é uma boa bandeira para ser eleito? Vamos ao debate em Sampa!