6.7.17

SINDICATOS DOS FRENTISTAS FECHAM NEGOCIAÇÃO DO ESTADO DO RJ

Via SINPOSPETRO-RJ -

Unidos, os três sindicatos da categoria conquistaram aumento real nos salários sobre a inflação de junho.


A união faz a força. O ditado serviu de combustível para os três sindicatos dos frentistas do estado do Rio de Janeiro fecharem, com sucesso, a negociação salarial dos 20 mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência. Diante das dificuldades da maioria das categorias no país para negociar o reajuste salarial, os Sindicatos da categoria no Rio de Janeiro, Niterói e Campos dos Goytacazes conquistaram para os trabalhadores reajuste salarial escalonado de 6%. O acordo fechado nesta quarta-feira (5), na sede do SINPOSPETRO-RJ, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio garante um aumento real para a categoria.

Além do aumento salarial, os sindicatos conquistaram para os trabalhadores reajuste de 15% no valor da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e também de 15% no vale-alimentação. O Seguro de Vida teve aumento de 20%.

Durante a negociação o presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, disse que a proposta unificada visa fortalecer e avançar nas conquistas para a categoria. Ele afirmou que a união dos sindicatos foi preponderante para o êxito da negociação. “ A vitória é de todos os trabalhadores”, completou.

CONQUISTAS - A PLR de R$ 485,07 será paga em duas parcelas: a primeira de R$ 242,53 em julho e a segunda e última no mesmo valor em outubro. Com o aumento de 15%, o vale-alimentação passou para R$ 138,00. Esses benefícios não são obrigatórios e foram conquistados com suor, negociação e persistência pelos sindicatos.

REAJUSTE - O aumento de seis por cento, será dado em duas etapas de forma escalonada. Os trabalhadores vão receber 5% retroativo a 1º junho, data-base da categoria, e mais 1% que vai incidir sobre o piso salarial pago em janeiro de 2018. As diferenças salariais terão que ser pagas até o dia 5 de agosto.

Com o aumento, agora, de 5%, o piso da categoria passará para R$ 1.294,28, já incluso o adicional de periculosidade. Em janeiro, os trabalhadores terão o salário reajustado em 1%.

INFLAÇÃO - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de junho deve fechar nos próximos dias e com isso, cria-se a expectativa com relação ao aumento real que os sindicatos conquistaram para os trabalhadores. O índice é utilizado para a negociação de reajustes salariais. De acordo com a previsão do Banco Central, junho pode ser o mês com a menor taxa de inflação desde 2006. A expectativa é de que a inflação desacelere e com isso o ganho real do trabalhador seja maior.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospero-RJ