12.8.17

A REVOLUÇÃO BOLIVARIANA DA VENEZUELA ENTRE O LIBERALISMO DE ESQUERDA E A ESQUERDA CIPAIA

Por AURELIO FERNANDES -

"Aqueles que esperam ver uma revolução social ‘pura’ nunca viverão para vê-la. Essas pessoas prestam um fraco serviço à revolução ao não compreender o que é uma revolução”. (Lênin)


Quando Chávez surge no cenário internacional é visto com uma grande antipatia por amplos setores da esquerda que viam com desconfiança um militar “golpista”.

Com as vitórias eleitorais de Chávez e depois de Lula, o liberalismo de esquerda compõe análises comparativas entre os dois, utilizando as categorias de esquerda positiva e negativa. Nessas análises, Lula é apontado como uma liderança positiva, pois apostava na negociação e no consenso, e Chávez como uma liderança negativa, porque apostava na divergência e no confronto. Lado a lado, a esquerda cipaia utilizava a confusão conceitual do populismo para analisar em muitos ensaios e artigos o surgimento e as propostas bolivarianas de Chávez.

Leia a íntegra em INTERNACIONAIS

* Via e-mail. Aurelio Fernandes é membro do Comitê de Solidariedade com a Revolução Bolivariana no Rio de Janeiro, graduado em Licenciatura em História pela UERJ, pós-graduado em História Social pela UFF e Mestre em Ensino de História pela UERJ