24.8.17

SINDICATO DOS FRENTISTAS DA BAHIA INTERDITA POSTOS EM PROTESTO CONTRA ATRASO NOS SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS

Via FENEPOSPETRO -

A manifestação dos dirigentes do SINPOSBA surtiu efeito e a empresa se comprometeu a quitar as dívidas com cerca de 300 trabalhadores.


A Consolidação das Leis do Trabalho exige como requisito de qualquer contrato de emprego, o valor do salário a que terá direito o empregado. O salário do empregado, pela sua natureza alimentar, é o conta-gotas da sobrevivência do empregado. Por este motivo, o atraso do salário é considerado uma falta grave do patrão que pode sofrer punição administrativa e judicial. Para garantir os direitos de cerca de 300 trabalhadores, que estão com os salários atrasados, o Sindicato dos Frentistas da Bahia (SINPOSBA) interditou, nesta quarta-feira (23), por quatro horas, dois postos de combustíveis da Rede Mataripe, no Centro de Salvador.

Desde agosto de 2016, a Rede Mataripe vem atrasando, sistematicamente, o pagamento dos salários dos funcionários. Cansados de serem enrolados, os funcionários da empresa procuraram o sindicato em junho deste ano para denunciar os atrasos nos salários e também no pagamento dos benefícios. Para resolver a questão, a diretoria do SINPOSBA se reuniu com os representantes da Rede, no dia 6 de julho, na Superintendência Regional do Ministério do Trabalho, em Salvador. Na ocasião, a empresa alegou dificuldade de caixa e se comprometeu a acertar os pagamentos, mas a irregularidade persistiu.

O diretor do SINPOSBA, Antônio Lago, afirmou que a Convenção Coletiva da categoria determina que o salário seja efetuado até o dia 5 de cada mês, mas a empresa só libera o pagamento com cerca de 20 dias de atraso. Ele disse que essa situação cria um mal-estar para o trabalhador que tem contas a pagar e um cronograma a cumprir. Segundo Lago, o décimo terceiro salário foi pago com atraso e os funcionários que solicitam férias também não estão recebendo em dia. Ele informou ainda, que a empresa deixou de depositar o FGTS dos empregados em fevereiro deste ano.

MANIFESTAÇÃO - A manifestação paralisou por completo o atendimento nos dois principais postos da Rede Mataripe, que ficam no Centro de Salvador. Mais de 400 veículos deixaram de ser abastecidos entre 6h e 10h. A polícia foi chamada para liberar a circulação dos veículos no posto, mas ao tomar conhecimento do motivo e da legitimidade da manifestação, os policiais permitiram que o sindicato prosseguisse com o protesto.

A manifestação terminou quando a empresa se propôs a quitar a dívida com os funcionários. De acordo com Lago, a empresa além de fazer a transferência do crédito dos salários também se comprometeu a quitar nesta quinta-feira (24) a ajuda de alimentação referente ao mês de agosto. Lago disse que se empresa não cumprir o acordo, o sindicato voltará a interditar os postos da Rede.

SINDICALIZAÇÃO - Antônio lago destacou a importância da sindicalização, já que a entidade de classe é a única representante da categoria, que tem conhecimento da Convenção Coletiva e faz valer os direitos dos trabalhadores. Ele acrescentou que os trabalhadores se sentem pressionados e muitas vezes não denunciam as irregularidades ao sindicato. Lago frisou que mesmo sendo associados ao sindicato, os empregados da Rede Mataripe só denunciaram o caso ao SINPOSBA há dois meses.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Fenepospetro