16.9.17

HUMILHAÇÃO: 1- JANOT NÃO É CONVIDADO PARA POSSE DE SUA SUCESSORA RAQUEL DODGE; 2- STF VAI JULGAR NOVO PEDIDO DE PRISÃO DE AÉCIO; 3- JANAÍNA PASCHOAL PEGA O ÚLTIMO LUGAR EM CONCURSO PARA PROFESSOR TITULAR DA USP

REDAÇÃO -


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não irá à cerimônia de posse de sua sucessora, Raquel Dodge, marcada para as 8h de segunda-feira (18). Sua assessoria informou que ele não foi convidado.

A solenidade será realizada na sede da PGR (Procuradoria-Geral da República) e terá a participação do presidente Michel Temer, responsável pela nomeação da nova chefe do Ministério Público Federal.

Procurada, a assessoria de Dodge disse que o cerimonial da PGR enviou convites eletronicamente para Janot e todos os sub-procuradores-gerais. Não haveria como saber, porém, se ele viu o e-mail. (…) (via Folha)

***
STF vai julgar novo pedido de prisão de Aécio

Engavetado há mais de um mês no Supremo Tribunal Federal, o julgamento do pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB) foi adiado novamente.

Ao relator do caso, ministro Marco Aurélio Mello, Aécio alegou que os dois advogados que o defendem não poderão participar da sessão da Corte, que já estava marcada para a próxima terça-feira, 19.

Alberto Zacharias Toron diz, no texto, que estará em Portugal a partir de 16/9, e lá ficará até 24 de setembro. Argumenta que a viagem já estava marcada "há tempos". O outro defensor de Aécio, José Eduardo Alkmin, alega que estará defendendo outro cliente, no âmbito do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, em uma sessão marcada anteriormente à do STF.

O ministro Marco Aurélio Mello decidiu adiar a análise para 26 de setembro.

O pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi feito no dia 31 de julho, o terceiro pedido de prisão após a homologação das delações da JBS. Janot pretende anular a decisão do ministro Marco Aurélio, que havia negado a prisão do tucano, além de ter lhe devolvido às atividades no Senado.

O senador tucano é acusado de corrupção passiva e obstrução da Justiça; ele teria pedido e recebido R$ 2 milhões da JBS e atuado no Senado e junto ao Executivo para embaraçar as investigações da Lava Jato. (via 247)

***
Janaína Paschoal pega o último lugar em concurso para professor titular da USP


A advogada Janaína Paschoal foi a última colocada em um concurso que escolheu os dois novos professores titulares de direito penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

Uma das vagas que ela disputava era a de Miguel Reale Júnior, que se aposentou. Janaína assinou junto com ele o pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

A outra era a de Vicente Greco Filho, que também se aposentou.

Janaína concorreu com Alamiro Velludo e Ana Elisa Liberatore, que ficaram com as vagas, e Mariângela Magalhães Gama.

Janaína, que defendia a tese “Direito Penal e Religião – As Várias Interfaces de Dois Temas que Aparentam ser Estanques”, teve notas entre 6.4 e 7.2. Alamiro, o primeiro colocado, teve notas entre 9.3 e 9.6.

Ela segue como professora-adjunta da universidade.