18.9.17

1- TEMER DÁ CALOTE E MILITARES PARAM COM AÇÕES DE SEGURANÇA NO RIO; 2- GEDDEL VAI DELATAR, DIZ COLUNISTA; 3- AÉCIO NÃO SE ELEGE PARA “CARGO” NA SALA DE AULA DA ESCOLA DA FILHA

REDAÇÃO -


As ações de segurança do Exército no Rio de Janeiro foram paralisadas em razão de um calote do governo federal, que não quitou os gastos com as operações. “Conduzo seguidas reuniões sobre a gestão dos cortes orçamentários impostos ao @exercitooficial. Fazemos nosso dever de casa, mas há limites”, postou no seu twitter o general Villas Boas, comandante das Forças Armadas.

O emprego das Forças Armadas em novas operações no Rio foi decidido em julho passado, devido ao recrudescimento da violência no estado, com aumento dos casos de roubos de carga e conflitos em comunidades entre facções rivais e a polícia, em meio a grave crise financeira do Rio. (via 247)


***
Geddel Vieira Lima vai delatar, diz colunista

Ex-ministro dos governos Lula e Michel Temer, Geddel Vieira Lima vai delatar, de acordo com a coluna de Lauro Jardim, do jornal O Globo. Ele está preso desde o dia 8 de setembro, após a Polícia Federal encontrar R$ 51 milhões em dinheiro em um apartamento ligado ao político, no bairro da Graça, em Salvador.

Ainda segundo a coluna, a delação de Geddel é consenso no Palácio do Planalto. Há expectativa é de que Gustavo Ferraz, ex-Codesal, também faça a proposta de delação. (via DCM)

***
Aécio não se elege para “cargo” na sala de aula da escola da filha


A relação entre Aécio Neves e João Doria, que estava abalada, foi reestabelecida. Amigos em comum fizeram a ponte para o entendimento.

A influência de Aécio fora dos bastidores políticos, porém, anda desgastada. O tucano tentou ser o padrinho da sala de sua filha numa escola bilíngue de Brasília. Perdeu a votação.

No início do ano letivo, os pais elegem um pai colaborador, responsável por aproximar as famílias da escola. Todos são convidados a votar em um representante por turma. A mensalidade na escolinha gira na casa dos 4 000 reais.