27.9.17

A QUASE GUERRA CIVIL, NÃO DA ROCINHA, MAS DA CIDADE INTEIRA, COM A POPULAÇÃO APRISIONADA, ASSUSTADA, ENGARRAFADA, DEFENDIDA (?) POR PÉSSIMOS COMBATENTES

HELIO FERNANDES -

O assunto é prioridade total, e pela importância do Rio, ex-capital e ainda centro de referencia irrefutável, com repercussão nacional. E agravada pela incompetência de tratarem a questão como caso de policia. Mesmo quando implantaram as UPPs, que parecia e poderia ter sido mesmo uma solução, deram total prioridade á policia. E mais grave: policia criminosa.

Se tivessem subido os morros com arquitetos, engenheiros, médicos, administradores, sanitaristas, em vez de unicamente policiais mal pagos e despreparados, dado atenção á população que foi tratada de forma desprezível, tudo estaria diferente. Arquitetos teriam transformado a Rocinha num bairro aprazível e agradável para moradores e visitantes.