21.9.17

DESENCONTRO DE DATAS E FALTA DE PRAZO DE CONVOCAÇÃO DIFICULTAM MOBILIZAÇÃO DA QUARTA CONFERÊNCIA DE IGUALDADE RACIAL

ROGER MCNAUGHT -


Neste ano de 2017 que tanto tem trazido notícias tristes para os movimentos sociais, em particular movimentos de defesa de liberdade religiosa e de valorização da ancestralidade africana, o Rio de Janeiro enquanto cidade vem deixando a desejar.

O calendário federal prevê prazos específicos para a realização de conferências livres, municipais, estaduais e por fim uma conferência nacional e, segundo denúncias recebidas de leitores, este calendário tem sido tratado com descaso na cidade do Rio de Janeiro.   Segundo o calendário – que já sofreu modificações e ampliação de prazos para as conferências – a etapa municipal da IV Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial deveria ser realizada primeiramente até o dia 6 de junho, tendo sua data prorrogada até o final de setembro do corrente ano.

A prefeitura, a quem caberia receber a diretiva federal e realizar a conferência ou abrir a responsabilidade da mesma para a sociedade civil, aguardou até o limite do prazo publicando convocatória em Diário Oficial apenas no dia 20 de setembro – e pior, convocando a conferência para o dia 29, apenas 9 dias para convocação e realização do evento. Na ocasião da publicação foi possível reparar que a convocatória não especificou local para a conferência, dificultando a mobilização e não incluindo a sociedade civil na construção.

Ainda segundo denúncias, a construção estaria programada em uma reunião “secreta” a ser realizada no dia 22 de setembro na Irmandade Nossa Senhora do Rosário, às 14 horas.

Procurados por telefone, membros do COMDEDINE – Conselho Municipal de Defesa Dos Direitos Do Negro – responderam não estarem cientes de tal reunião para o dia 22 e tampouco deram maiores informações sobre os prazos, respondendo somente que houve a publicação do dia 20 de setembro em Diário Oficial, na página 53.


Em páginas nas redes sociais de movimentos atuantes, percebeu-se uma indignação para com o descaso da atual administração em relação ao tema e à conferência – particularmente diante de repetidos casos de agressões à pessoas afrodescendentes motivados por discriminação religiosa e social.