19.9.17

EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO NA IMORALIDADE E DISTANTE DA SOCIEDADE

ROBERTO M. PINHO -


Em meio à operação Lava Jato, delações premiadas e um cenário multifacetado do STF e do Congresso, tudo indica que tão cedo não teremos o desfecho das principais questões que vão influenciar de vez as eleições de 2018.

Inicialmente porque é latente a existência da insegurança jurídica reinante no judiciário. Decisões são tomadas, e desmanchadas com um simples “piscar de olhos”, deixando entrever que existe de fato muita influência política no Supremo, o que é altamente nocivo para a democracia brasileira e inquietante para a sociedade.

Leia mais na COLUNA