19.9.17

TODOS SOMOS VENEZUELA. DIÁLOGO MUNDIAL POR LA PAZ LA SOBERANÍA Y LA DEMOCRACIA BOLIVARIANA [VÍDEOS]

Por ANDRÉ MOREAU -


O Ato em solidariedade a Revolução Bolivariana foi precedido por um concerto da Orquestra Sinfônica Infantil da Venezuela. É esse o sentimento dos membros da marcha “Todos somos Venezuela – Diálogo Mundial Por La Paz La Soberanía Y La Democracia Bolivariana”, ocorrido no Teatro Teresa Carreño, em Caracas (16) que, além da união dos delegados de mais de cento e noventa e sete países, dentre eles, representantes do Chile, República Dominicana, Colômbia, Rússia, China e Brasil, reuniu (17) os presidentes do Estado Plurinacional da Bolívia, Evo Morales e da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro Moros.

Evo Morales en Domingo con Maduro


O Ato Todos Somos Venezuela – Diálogo Mundial Por La Paz La Soberanía Y La Democracia Bolivariana, busca diálogo com a oposição visando superar a guerra econômica que tanto mal causou ao povo, ressaltou o Chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza: “(...) a desestabilização da nossa economia, o ataque contra a moeda promovido pelos centros de poder no norte, promovido de Bogotá e de movimentos internos da Venezuela, também. Uma guerra terrível que gerou dificuldades para o povo venezuelano, para ter acesso aos seus produtos, para viver em paz, tal como temos garantido com a Revolução durante tantos anos. E resistir e resistir e não abandonar o caminho, isso tem dito o Presidente Nicolás Maduro, buscando, calculando. A diminuição do preço do petróleo é também uma estratégia imperial, contra Rússia, contra Iran, contra Venezuela” concluiu.

Delcy Rodriguez, Presidenta da Assembléia Nacional Constituinte, enfatizou que “(...) com a Revolução Bolivariana, chegou também o modelo de democracia participativa. Um povo atuando decididamente para determinar o seu destino. E isso é ameaça para o centro imperial. Porque imaginem os povos do mundo falando a linguagem da Revolução Bolivariana. Atuando como a Revolução Bolivariana. É uma verdadeira ameaça para os centros imperiais como disse a professora Sonya Gupta. É uma verdadeira ameaça para o modelo capitalista”.

A Defesa da Paz e da Soberania é um dos cinco temas que farão parte dos trabalhos sobre as seguintes questões: a) Luta Contra o Imperialismo; b) Supremacia Racial; c) Contra Revolução Financeira Global; d) Os Direitos da Mãe Terra. Além da realização de diversas atividades culturais no Teatro Teresa Carreño, até o dia 19.

As jornadas de intercâmbio que afirmam a necessidade de diálogo para que a população da Venezuela tenha paz, a paz tão propalada pela oposição, vão terminar com a elaboração de um documento comum em apoio à Venezuela.


Paralelamente, ocorreu ontem (18), em Moscou, o 19ª Festival da Juventude e Estudantes que contou com a participação de delegados da Palestina, da Federação Russa, dentre representantes de outros países, visando reforçar as boas lutas com outras vozes na defesa da paz e solidariedade à Venezuela. Entre 14 e 22 de outubro, será produzido outro Festival que celebrará a paz, na Rússia.

Esta é mais uma lição de democracia que somada a Constituinte de 30 de julho, abateu as ameaças de ataques do império contra o processo Constituinte da República Bolivariana da Venezuela, assim como reduzirá a escala de boicotes decretados contra Iran, China e Rússia. Os ensinamentos servem também aos democratas estadunidense, ditos de primeiro mundo, mas que operam com a mente da sua gente acorrentada por vícios do neofascismo e ou pela ganância mercenária como, a do Secretário Geral da Organização de Estados Americanos – OEA, o lacaio Luis Almagro, vendido para alimentar a fábrica de mentiras repetidas, pautadas pela Sociedade Interamericana de Imprensa - SIP e faturar com dividendos da indústria bélica nas guerras pela ocupação de territórios livres e independentes.

* Via e-mail / André Moreau, é Coordenador-Geral da Pastoral IDEA, Professor, Jornalista, Diretor do IDEA, Canal Universitário de Niterói, Unitevê, Universidade Federal Fluminense (UFF).